terça-feira, 10 de novembro de 2009

O nosso Porto-benfica

Antes de mais nada, olá a todos e espero que gostem. E viva o Porto!

Parece-me um bocado injusto iniciar esta aventura online numa altura em que a balança tende claramente para um dos nossos clubes. Assim é mais fácil um de nós ter moral e argumentos para atacar o outro. Esperto, portanto, que te aguentes com o facto de eu ser tetra.

Por outro lado, não podíamos ter escolhido melhor semana para divulgar a nossa já antiga constatação de que somos adeptos dos dois grandes de Portugal: Porto e benfica (maldito word que me coloca esta palavra com maiúscula e me obriga ao trabalho de voltar atrás e corrigir). Como tal, este blog representa tudo o que interessa no futebol português.

E, tendo isso em conta, apresento-me: sou do Futebol Clube do Porto desde que nasci, desde que a minha família assim o obrigou (desejou talvez ficasse mais bonito), desde que cresci na cidade mais maravilhosa do mundo, desde que comecei a falar com sotaque, desde que comecei a andar até ao Estádio das Antas.

Quem me conhece sabe que não havia outra hipótese. É verdade que nunca joguei futebol (as raparigas basicamente não o sabem fazer) e que só coleccionei cromos porque tenho um irmão. Eu nem sei como se calçam umas chuteiras, confesso. Mas fiquei com o resto.

Apaixonei-me por ver este desporto. E, como sou orgulhosamente fanática e não uma adepta do fair-play, este desporto para mim resume-se a um clube. Claro que gosto de acompanhar os outros campeonatos, saber quem são os outros jogadores, ver bons golos e boas jogadas. Mas tudo isso se evapora quando, por exemplo (e aviso já que vou dar um exemplo mesmo inconcebível), o Porto perde com o marítimo. E tudo depende disso.

Continuando com hipóteses impossíveis e absolutamente fictícias, imaginem que o Porto está a cinco pontos da liderança e que eu estou a ver um lyon-marselha espectacular, escaldante, recheado de golos. O que penso? Que o futebol é lindo? Que nojo.

Penso que tenho saudades do Lisandro e do Lucho. Momento triste. Penso como seria se cá estivessem. Momento nostálgico. Penso que somos capazes de dar a volta e que não é pela falta deles que não vamos lá. Momento de esperança. Penso que sou uma otária em pensar assim, que o Lisandro e o Lucho já lá vão e que é preciso é ir ganhar à luz. Momento de raiva.

E assim passo uns bons minutos da minha vida a pensar nisto. E passam 24 horas e eu continuo a pensar mais ou menos nisto, acrescentando-lhe um penalty que ficou por marcar para a naval. E já passaram mais umas boas horas e a coisa está mais ou menos na mesma.

Não sei se é obsessão, doença, ou paranóia. Nem sequer sei se amor ou paixão se encaixam bem nisto. Sei que estou obcecada em tentar perceber o que está mal na minha equipa. Sei que estou doente por a tua equipa ter mais pontos do que a minha. Sei que fico paranóica quando chegas a casa e eu estou a pensar que o benfica é uma merda. Só sei que amo o meu clube e que gosto tanto de ti como odeio o teu.

4 comentários:

  1. Eh pá! isto no futebol é como na vida; se um "gajo" vai à frente, "porreiro, pá" (não, não subscrevo o acordo ou tratado de Lisboa). Se vamos atrás, sempre podemos dar uns pontapés no cu do gajo que vai à nossa frente.

    ResponderEliminar
  2. É (só) por isto que vou ficar do lado do Manel na igreja =P

    ResponderEliminar
  3. Se não fosse ao contrário, não tinha piada nenhuma :)

    (mas da próxima vez que ele achar que vamos perder com o Manchester e chegar a casa com uma garrafa de vinho do Porto para "festejar" e depois não festejar nada... por favor liga-me para eu me rir!)

    **

    ResponderEliminar