quinta-feira, 20 de maio de 2010

Os suspeitos do costume

Nove “jovens adeptos de um clube de Lisboa da principal Liga” foram constituídos arguidos por injúrias, coacção e ameaças sob quatro árbitros de futebol profissional, durante os últimos oito meses. Os suspeitos, “antes dos jogos do clube em causa, coagiam e faziam ameaças à integridade física e de morte aos árbitros nomeados e aos seus familiares”, através do telemóvel.

A fonte da PJ que revelou estes dados à Lusa não disse, no entanto, de que clube estamos a falar. Porquê? Querendo acreditar na “bondade” das pessoas, parece-me que a decisão faz sentido quando se quer evitar que a questão futebolística se sobreponha à criminal. Isto é, espero que “a fonte” não tenha revelado se estamos a falar do benfica, do sporting ou do belenenses porque está mais interessada no julgamento do crime do que na suspeita que a história pode lançar no futebol.

No entanto, podemos analisar isto. Em primeiro lugar, proponho imaginarmos que estes “suspeitos” eram “de um clube do Porto da principal Liga”. O mistério nem sequer ganhava forma. Os jornais fariam capa com fotografias de membros dos Super Dragões, estrategicamente, ao telemóvel. A opinião pública diria, mais uma vez, que são sempre os mesmos a fazer estas coisas. Os do costume. Os que assaltam estações de serviço e atiram pedras a mulheres e crianças. Falar-se-ia disto durante dias, semanas, e os adeptos do Porto, ou o clube, ou a cidade, ou o Norte em geral, expunha ainda mais o rótulo de “animais”, “bichos”, “selvagens” (um cheirinho do que ouço por aí...).



Que pena serem de Lisboa. Assim não sabemos muito bem o que dizer. Sabemos que, um dia, um autocarro do Porto foi incendiado “em Lisboa” com o motorista lá dentro. Sabemos que houve uma vez em que um jogador do FCP ficou em coma “em Lisboa”. Sabemos que morreu um adepto na final de uma Taça entre “clubes de Lisboa”. Sabemos que num estádio “de Lisboa” se pode entrar no relvado para bater num fiscal-de-linha. Sabemos que há um processo em tribunal que envolve uma claque “de Lisboa”. Sabemos que há invasões à pedrada até nos juniores de “clubes de Lisboa”.

Mas, enfim, isso são apenas factos.

P.S. Soube agora que "fonte ligada ao processo" disse à Lusa que são adeptos do benfica. Surprise, surprise!

9 comentários:

  1. porque não comentas o facto curioso de serem quase todos de terras vizinhas do porto? foi a parte que achei mais deliciosa. quanto ao facto de te armares em vitima pq qd sao do porto, colam logo os sd, é vejo exactamente as coisas ao contrário. e tenho um exemplo flagrante: o caso do bruno pidá e desse processo todo da noite portuense, onde até o macaco meteu o bedelho mas nunca se ouviu falar nessa claque tão notoriamente bem comportada...

    ResponderEliminar
  2. Porra, nunca se ouviu? Deves ver muitas notícias, deves

    ResponderEliminar
  3. As pessoas são certamente adeptas do Benfica, e pelo que ouvi hoje na TSF uma das ameaças foi uma chamada para o Jorge Sousa após o jogo em Braga a dizer "Não te portaste bem"* e "a tua mulher está sozinha em casa"*... Ameaças terríveis (a entrevista do Hermínio Loureiro à TABU é bem mais grave mas disso ninguém fala...).

    Voltando às pessoas, pelo que li no Expresso serão habitantes de: Paredes, Rio Tinto, Tondela, Lisboa, Nordeste e Ponta Delgada, em S. Miguel, Açores.

    Ou seja, demonstram a real dimensão do Benfica... Nacional :-)



    * realmente o Jorge Sousa (ex-Super Dragão) não se "portou bem" e essa arbitragem foi uma vergonha (como muitas do Braga este ano...mas isso também não interessa para nada...)

    * "a tua mulher está sozinha em casa" deve ser um dos "clichés" dos profissionais (cobardes) do ameaço telefónico...

    ResponderEliminar
  4. estava tudo na net.. era só procurar...certos blogues benfiquistas e "anti tripeiros"... xD alguém já fez o favor de apagar .. mas cheira-me que não foram a tempo xD

    ResponderEliminar
  5. Fala-me de capas incendiárias com claques, fala.
    Já que gostas tanto de te armares em vítima, diz-me aí quantos mega-processos, envolvendo escutas etc. etc. é que houve contra os Super?

    Em todos os exemplos de que falas o nome do Benfica e das claques mais directamente ligadas foi mencionado e repetido ad nauseum. Bem ou mal, mas foi. Só na tua cabeça é que estas coisas se escondem por envolverem adeptos do SLB.

    Quanto aos telefonemas, é grave, claro que é grave. Mas sou da opinião que as pessoas que as fizeram não são criminosas, apenas precisam de aconselhamento. Talvez o teu presidente os queira receber em casa para aconselhar, como faz aos árbitros.

    E já que falamos de pressão sobre árbitros, o que é pior... telefonemas, ou agressões físicas na garagem de um estádio, por parte de um funcionário do clube? Ring a bell?

    Esse teu tom de vítima já enjoa. Eu diria para arranjares outro, mas és tripeira, nada feito.

    F.

    ResponderEliminar
  6. Ca granda azia que causa o BENFICA CAMPEÃO!


    Mítica a ideia dos "Suspeitos do Costume". Fez escola :-)

    ResponderEliminar
  7. eu a pensar que iam ter um orgasmo de serem campeões e afinal andam cheios de azia.. coitados são umas belas vitimas...viu-se esta noite frente ao panathinaikos do k os meninos (perdão as virgens arrependidas) são capazes...

    ResponderEliminar
  8. A única pessoa que me falou do Ricardo Costa foi o Adelino Caldeira, vice-presidente do FC Porto, a 3 de Setembro de 2008 num almoço no restaurante Lusíadas, em Matosinhos. Ele foi clarinho e apreciei a frontalidade. Disse-me: ‘Meu caro, ou você corre com o Ricardo Costa e tem a vida facilitada ou vamos fazer-lhe a vida negra’.

    Por menos... desceu o boabista.

    ResponderEliminar
  9. Estou à espera do Post acerca da Tabu :-))))

    ResponderEliminar