segunda-feira, 9 de agosto de 2010

Hoje há frango à Jesus

Estava apreensiva. Estávamos todos, suponho. Há um Porto novo este ano, não tanto nos jogadores (notem que na equipa titular «só» faltam Bruno Alves e Raul Meireles), mas no espírito. Sabia que era preciso tempo para ver as melhoras entre o experiente Jesualdo e o novato Villas Boas.

E a primeira melhora foi notória logo na semana que antecedeu o importantíssimo embate com o benfica. E digo importantíssimo não só pelo troféu em disputa, mas acima de tudo pela atitude generalizada para com este jogo, no qual era esperado que um Porto frágil e à procura do seu norte fosse goleado por um benfica goleador, sempre em grande e praticamente quase campeão europeu. Villas Boas teve a sua primeira vitória nas palavras de antecipação ao jogo. Foi calmo, sincero e motivador. Também estava apreensivo, aposto, mas ganhou ao outro.

«Dificilmente alguém nos segura», dizia ele. As vitórias e os golos na pré-época sucediam-se, os reforços milionários também e a confiança parecia inabalável na luz. Só que, com esta pequena frase, Jesus não foi capaz de perceber que estava a retirar a pressão positiva aos jogadores, aquela que os faz correr mais, que lhes dá vontade de começar a época a ganhar ao maior (e agora praticamente único) rival. Perdeu nas palavras, a meu ver.

Depois, perdeu na preparação. O benfica jogou três vezes em poucos dias, o que me pareceu logo um esticar da corda. E veio a confirmar-se, durante o jogo, que foi uma má decisão. Os vermelhos estavam mais cansados, muito menos rápidos do que o costume.

Além disso, perdeu nas apostas. O regresso ao 4x4x2 quando a pré-época foi passada a jogar em 4x3x3 deve ter deixado os jogadores à nora. Pelo menos a mim deixou. E já nem vou falar da teimosia em meter o Roberto, que já não é simplesmente um frangueiro, é mesmo a causa da grande instabilidade que é neste momento a defesa do benfica.

Perdeu ainda na leitura do jogo. Não se percebe como é que depois do baile que foi a primeira parte a primeira substituição só é feita aos 60 minutos e como é que depois de levar o segundo demora mais dez minutos a mudar novamente. Na minha terra, isto é ser muito mau treinador. E pareceu-me que foi ele o principal culpado desta derrota. Mas não vou perder mais tempo a apontar os erros que muitos jornalistas se «esqueceram» de apontar.

Prefiro lembrar que o «pode-ser-o-João» perdoou várias expulsões aos lampiões. Não teve influência directa no resultado, é certo, porque o Porto arrasou tanto que não foi possível. Mas tentou.



E, voltando a André Villas Boas, houve outra pequena vitória no último sábado. Fazendo as contas, afinal o «novato» só tinha menos um jogo do que José Mourinho quando chegou ao Porto. O que destrói completamente os argumentos que este tinha apresentado na entrevista que aqui critiquei. E agora AVB até já pode dizer que Mourinho não ganhou um troféu no primeiro jogo pelo Porto, nem no segundo, nem no terceiro…

Por falar em estatísticas, gostei de saber que o Porto já ganhou mais vezes ao benfica do que ao contrário. São 82 vitórias contra 81 no confronto directo, o que deve saber muito bem aos velhos do Restelo que adoram a história do futebol.

Agora não é tempo de euforias. O Porto ganhou muito bem, mas a naval é já no sábado e aí é que interessa mesmo ganhar. Não me importo de continuar a ser apenas a segunda candidata ao título, atrás do benfica, desde que o Porto continue a jogar e a ganhar assim.

Não posso terminar este texto sem desabafar que deve ser muito difícil ser do sportem. Varela foi o melhor em campo, mas João Moutinho também não lhe ficou atrás (o rapaz ainda olhou para a bancada à minha procura, com medo, mas eu já lhe expliquei que agora somos amigos).

Uma última palavra para os adeptos do benfica de Lisboa, que são uma ver-go-nha. Num sábado à noite, a 230 quilómetros da capital, ficaram em casa. Na final da Taça da Liga eram milhares, No Names, Diabos, foram todos. Mas agora era «no Norte» (para eles tudo o que é acima de Lisboa é Norte, mesmo que Aveiro seja no Centro) e viu-se muito menos «claqueiros» e, os que se viam, eram do Norte inteiro. Já os adeptos portistas foram aos milhares à final da Taça da Liga, num domingo à noite, num estádio a 600 quilómetros da nossa capital. Somos muito diferentes. O benfica é muito grande, tem adeptos em todo o lado, blá, blá, blá. Mas vocês não deixam de ser uma vergonha.

5 comentários:

  1. Ganha juízo Catarina. Uma coisa é ter os benefícios extra que os Super têm, outra completamente diferente é o que os DV e os NN pagam para ir à bola. Queria ver os Super a pagar 30 euros para ir a Aveiro, para ver quantos é que lá iam ;) Quanto é que pagaram para ir à Taça da Liga? 10euros? 15 euros?

    ResponderEliminar
  2. Deixa-me rir. Do principio ao fim.

    ResponderEliminar
  3. Gostei :) do post e do novo layout!

    ResponderEliminar
  4. O fcp é o maior, o que têm descendentes ingleses já é melhor que o especial one, o JJeus desaprendeu ainda bem que ele preferiu o BENFICA ao fcp.
    O fcp já têm 17 SuperTaças o nody realizou o seu sonho ganhar titulos no fcp ups este ele até já tinha ganho duas pelos calimeros....
    O BENFICA é uma vergonha ainda não começou o campeonato e já perdeu....

    CARREGA BENFICA!!!! SLB SLB SLB.......

    ResponderEliminar
  5. Mal vi o jogo pois estava ocupado com coisas deveras mais importantes, mas pelo que vi o fóculporto ganhou bem e a arbitragem foi simpática para o Benfica (pelo menos no lance do David Luiz que foi o que vi pelo canto do olho).

    No entanto, a época é longa e isto é apenas um jogo...

    Relativamente às estatísticas... Isso é coisa de Ruis Oliveiras e Costa...

    Carrega Benfica !!!

    ResponderEliminar