sábado, 14 de agosto de 2010

O que cala Costinha?

Quando o futebol português é dominado pelo Benfica e Clube do Guarda Abel, impõe-se a pergunta: o que é dos outros? O que fazem, o que dizem? São neutros que preservam a identidade ou vendem-se descaradamente a um dos lados?
O que me mete sempre medo no ínicio do Campeonato é ver a quantidade de treinadores de equipas de menor nomeada com o carimbo azul, a quantidade de equipas que há muito se mantém na primeira divisão graças à facilidade com que os azuis lhes ganham e a promessa de comerem a relva contra nós.
O poder do polvo mede-se pelo facto de dominarem clubes que, inclusive, podem ficar à sua frente no Campeonato.


Mas se o fenómeno braga pode ser mais ou menos passageiro, há uma pergunta que tem de ser feita:  os verdes, que fazem e dizem os verdes?
É extraordinário observar onde estavam os lagartos em 1982 e onde estão hoje. São claramente o 3º maior clube português, apesar da 2ª maior massa associativa. Que se passou? O que é que aconteceu? O que se passou é simples: aos lagartos agradou a subida ao poder do fóculporto. Deu-lhes um gozo danado ver-nos na lama. Mesmo que eles estivessem ali mesmo, a ganhar uma Taça quando os donos deixavam.
Quando o Benfica recupera dos desastrosos anos Damásio e Vale e finalmente consegue afrontar um poder há muito, muito tempo institucionalizado, é mais que legítimo perguntar: e tu, sporting?
Um parêntesis: eu não quero uma união com a lagartada. É-me geneticamente impossível qualquer proximidade com os viscondes. O clube do Cazal Ribeiro e do Góias Mota repugna-me.
A única coisa que me agradaria - porque era favorável ao Benfica - era que não fossem tão, mas tão coniventes.

                                     

O que quer um clube que nas escutas que toda a gente ouviu é tratado abaixo de cão, um clube que lhe vê roubado o capitão (há muito em negociações com os azuis, é público) e que vê o seu presidente dizer, muito feliz, que "o Sr. Pinto da Costa garantiu que Moutinho só jogaria no porto se o sporting estivesse de acordo", como quem se refere a um cavalheiro, um homem das melhores atenções? O que faz um clube que perdeu Futre e recebeu Postiga? Motivos sem fim para voltarem baterias acima do Douro.
Mais, o director do sporting é um tal de Costinha. Lembram-se de como Costinha saiu do covil do dragão? A coisa foi tão bonita que o mesmo disse à "Sábado":

Costinha - Isso é mais complicado. Para perceber a saída de Derlei é preciso encontrar quem está por detrás dela. Não admito que um grupo de adeptos venha criticar e enxovalhar, com faixas provocatórias, um atleta que deu ao clube aquilo que Derlei deu. E mais espantados ficámos quando ninguém do FC Porto tomou uma atitude. Pelo contrário. Essa gente, depois de insultar os jogadores, entravam nas instalações do clube com um livre-trânsito e ninguém fazia qualquer reparo. E mais: de dia ameaçavam os jogadores e à noite jantavam com dirigentes do FC Porto. Que pensa um grupo quando sabe que quem os insulta e ameaça janta com dirigentes do clube?
ATT - Conhece o presidente dos Super Dragões?
Costinha - De vista. Ele diz-se profissional de claque e, pelo que aparenta, tem uma profissão rentável. Muitos jogadores do FC Porto não ganham para comprar Porsches e ele tem um.

Ou seja, Costinha provou o veneno com o qual pintou o seu currículo: o do crime organizado, aquilo que há muito sustenta o poder azul.


Espantoso é que Costinha, um rapaz que se diz antiBenfiquista, agora que é director desportivo de um clube rival - pelo menos no papel - dos azuis, nunca mais veio a público denunciar aquilo que sabe muito bem que se passa. É inacreditável que não abra a boca depois das ameaças sofridas e da ingratidão que  sofreu. Pior, é que isso beneficiaria - pelo menos no papel - o clube que lhe paga os fatos. Afinal, o que é que o cala?
Fico na dúvida se Costinha tem medo de levar um tratamento como Adriano ou se acha que o fóculporto mais forte é benéfico aos antiBenfiquistas. Fica a questão. Mas o irrespondível é o seguinte: o que impede os lagartos que lhe pagam o ordenado de o pressionarem a isso? Não os beneficiaria?
Há muito que os verdes se dizem "diferentes". Encontram uma superioridade moral no facto de serem perdedores. Nada mais errado. É tão criminoso quem assalta o banco como quem está com o carro à espera. E os lagartos, certamente menos culpados que os azuis, há muito que se calam, há muito que estão em silêncio. E haverá inocência nesse silêncio?


Quanto a mim, Benfiquista inveterado, louco por reaver o futebol português ao único clube que a merece, não posso deixar de ficar preocupado por ver tão pequeno o número de clubes não alinhados com o clube do Martins dos Santos e de Herculano Lima.
Assusta-me ler no Expresso que PdC torça pelos verdes nas competições europeias porque "é o clube onde estão os nossos amigos". O tráfico de influências torna-se público quando o "Sr. Pinto da Costa" diz, acerca de Jorge Costa, que "era cedo" e quanto a Domingos, um escandaloso: "Entendi que não era enfraquecendo os clubes amigos que deveríamos fazer a escolha".
A nós, Benfica, espera-nos uma luta desigual. Esta gente domina tudo e todos. Temos que ser mesmo muito melhores, como o ano passado, para revalidarmos o título. Temos de o ser para acabar com as trevas que há muito se abateram no futebol português.
Voltando ao tema deste post: porque te calas, Costinha? Porque se calam, lagartos? Por serem diferentes? Por serem um exemplo?!

                                                           
Ou porque lá no fundo, ou não assim tanto no fundo, só não querem que ganhe o Benfica?

4 comentários:

  1. A tua análise do sportem é perfeita. Estão contentes por sobreviver e não percebem como é grave estarem tão distantes de Porto e benfica. Mas eu não estou preocupada. Tu estás porque o teu desespero por querer uma manchetezinha a contar um podre da estrutura portista é demasiado evidente, tanto que o teu discurso está cada vez mais próximo do nosso. E pecas numa coisa: criticas a lagartagem por se achar superior, só porque não entra nas lutas podres de Porto e benfica, mas tu achas que o benfica é o clube que "merece" ganhar. Merece porquê? Nos teus queridos anos 90, que usas para justificar o domínio do Porto e o falhanço do benfica, lembras-te das tuas equipas, não lembras? Tu mereceste ganhar nos anos do Apito Dourado?
    Adoro que os odeies tanto como eu, mas essa obsessão por nós...

    ResponderEliminar
  2. Lembro-me bem, Catarina: Futre, Paneira, Rui Costa, Paulo Sousa, Yuran, Kulkov, Mozer, Mostovoi, JVP, Isaías, Hélder, Schwartz, Águas. Não fomos campeões. E não foi porque por falta de sorte.
    Depois, na 2ª parte da década, começaram os tiros nos pés (ou na cabeça) que fizeram com que fossem tudo impossível.
    Se o SLB merecia ganhar nos anos do Apito? Sem árbitros em casa do Pinto se calhar não podiam andar a poupar jogadores para a Champions, digo eu. Ninguém diz que o porto do Mourinho não era uma grande equipa, mas com um empurrãozinho e conselhos patrimoniais aos homens do apito é mais fácil ir mais longe.
    A obsessão por vós é óbvia e vai crescer: o Benfica, prova-o a entrevista ao Expresso, é Campeão contra tudo e contra todos. Preocupa-me que tenha de ser sempre assim. Daí que queira cortar o mal pela raíz.

    ResponderEliminar
  3. Ai Manel, Manel... O Acácio que o diga! Erams as malas à porta do balneário!

    ResponderEliminar
  4. Continuo a dizer: falas demasiado à Porto para quem é do benfica.

    ResponderEliminar