domingo, 29 de agosto de 2010

Tiros no pé? Não, obrigado

O lado do Mal não brinca. Eles sabem que não há pior pesadelo que o bi-campeonato do Benfica. Eles sabem que alguns anos sem ganhar os reduziriam, perdão, reduzirão, à mediocricidade que sempre pautou aquele clube durante praticamente toda a sua história.
Para nós, esse devia ser o principal objectivo, porque sem eles no caminho o El Dorado fica ali mesmo. Mas nós não podemos estar sempre a olhar para o vizinho. Ou pior, sempre a olhar para o nosso umbigo, ainda a rever a conquista de 2009/2010. Amigos, já passou, já foi. Agora é outra.
Mas a Direcção do Benfica, a mesma que fez as planeações espectaculares de 2005 e 2006, a mesma que ganhou o título do ano ano passado porque o Presidente se calou, voltou a ter o rei na barriga e a começar a disparar no próprio corpo.
Não consigo compreender porque é que Álvaro Pereira jogou a Supertaça e Maxi Pereira não. Não consigo compreender a política de contratações, o timing, o dinheiro estupidamente gasto em jogadores emprestados (vamos coleccionar percentagens na ordem dos 20% de todo o plantel do Atlético de Madrid? E aqueles 2 jogadores que nos foram prometidos quando vendemos o Simão abaixo da cláusula?), até...Roberto. Roberto é o símbolo daquelas duas derrotas, mas Roberto não perdeu sozinho.


O Benfica tem que ser muito mais forte do que os outros para ganhar. Se formos igualmente fortes, não dá. Temos que ser demolidores, seguros e sempre conscientes dos objectivos, sempre obcecados. Mas não, todos os anos - ou quase - tenho que gramar com a inocência, com a falta de profissionalismo. Eu penso nisto todos os dias, penso em todos os passos a dar: equipa a jogar, cuidados a ter com adversário, quem é o árbitro?, que notícias coloca a imprensa rival, que notícias devíamos nós colocar, que pressão colocar, tudo. Eu estou sempre a pensar no Benfica, no que faria para o Benfica ganhar. Aparentemente, ou isto não é feito, ou é muito mal feito pela Direcção do Benfica. Ou - repito, porque se há demérito este ano (e na maioria deles), o ano passado o mérito é também da Direcção - pelo menos é feito intermitentemente.
E não pode. O Benfica deve transpirar profissionalismo, o Benfica tem que querer ser sempre Campeão, tem de deixar-se de aburguesamentos, de novos - riquismos. Isso é que me põe doente. Às vezes acho que só eu penso assim.
Temos de jogar sempre com todas as armas, porque o Mal joga sempre com todas deles.

Portanto, parem com os tiros no pé por favor.

Sem comentários:

Enviar um comentário