quinta-feira, 2 de setembro de 2010

Amor à primeira vista

Dizem que a primeira impressão é o que importa. E a primeira imagem que tenho do Ricardo é de uma saída em falso em que ele ficou a protestar com os centrais Pedro Emanuel e Litos. É uma boa primeira imagem, portanto.

Também me lembro do Ricardo a protestar com os árbitros e do Ricardo a perder tempo naquele boavista campeão da cacetada. Mas não há nada como o Ricardo do sportem.

O sportem desde logo me convenceu que era o clube ideal para o Ricardo. Primeiro, porque não ganha nada. Depois, porque faz-me rir. E, por último, porque transforma jogadores em autênticos palhaços (vejam como era o Moutinho e agora como é…).

Foram anos muito bons. Ir a Alvalade era ter o prazer de ficar 45 minutos atrás do Ricardo. Receber os lagartos no Dragão era aquecer a voz para cada pontapé de baliza. Tivemos muitos bons momentos, eu e o Ricardo.

Claro que, ao mesmo tempo, ele era o preferido de uma nação que, curiosamente, ignorava o melhor guarda-redes da Europa de 2004. É que ele marcava penáltis, percebem? Uma coisa de outro mundo. Perdemos o Euro à pala de um frango dele, fomos afastados de outro Euro por causa de outro frango dele, mas o que é que isso interessa quando se sabe marcar um bom penálti?

Enfim, bons tempos. Agora o Ricardo nem sequer foi inscrito no bétis. E dá-me uma tristeza pensar que ele podia estar aqui, bem perto de nós, para eu me divertir...

2 comentários:

  1. Esta semana não se fala de penaltys :-)

    O joão mortinho continua a ser o palhaço que sempre foi.

    Ah, e o Eterno Benfiquista Labrecas não foi o único a fazer merda na final do Euro, houve malta do governo que também ficou a ler...

    ResponderEliminar
  2. Tu adoras o Ricardo, tendo em conta a importância que lhe dás. Quanto ao Boavista do cacete, nõ te faz confusão seres sócia do cacete? LOL

    ResponderEliminar