sexta-feira, 17 de setembro de 2010

Mourinho a presidente!

Júlio Verne demorou 80 dias a dar a volta ao mundo, mas José Mourinho só vai precisar de meia dúzia para colocar isto na ordem. O convite do génio Madail está feito: o treinador só tem de vir cá uns dias num jacto particular, escolher os onzes para os jogos com a Dinamarca e a Islândia de maneira espectacular, fazer seis substituições milagrosas e, se lhe apetecer mas a malta também não faz questão, ganhar.

Tudo isto de forma absolutamente grátis, porque José Mourinho é um homem de enorme coração e está claramente mais preocupado com os dois jogos de apuramento para o Euro2012 do que com qualquer favorecimento pessoal que possa tirar da situação. Parece que já estou a ver um anúncio do BES com Mourinho a garantir que tem um feeling, mas que a sua conta não vai aumentar à custa disso. É um homem de causas, como se sabe.

Da minha parte, só posso pedir para aproveitarmos esta humilhação internacional de suplicarmos por um treinador para coisas secundárias ao futebol.

Por exemplo, podiam pedir ao Mourinho para apresentar um projecto de revisão constitucional, já que os partidos o vão fazer. E porque não pedir ao Mourinho para votar no Orçamento de Estado para 2011? Ou para dar aulas aos miúdos que ficaram sem escolas perto de casa no âmbito do reordenamento da rede escolar?

Não sei como é que ainda não se lembraram de pedir ao Mourinho para comparticipar os medicamentos que, a partir de segunda-feira, vão deixar de ser grátis para cerca de um milhão de idosos. Ou porque é que ele não pega numa pá e vai construir o troço Lisboa-Poceirão do TGV, já que foi anulado.

Era mandar Mourinho uns dias para o Iraque e para o Afeganistão e o Obama via o que era acabar uma guerra com estilo. Ou então para o Chile, porque a táctica para resgatar os mineiros está claramente errada.

Ainda hoje não percebi porque é que escolheram a juíza Ana Peres e não o Mourinho para presidir o colectivo que julgou a Casa Pia. Ou como é que ainda ninguém colocou o Mourinho na fronteira de França a orientar os ciganos a sair em 4x3x3 ou 4x4x2.

Enfim, eu vejo um sem número de soluções que se podem seguir à brilhante ideia de Madail. E lembrem-se, há presidenciais no início de 2011 e, para já, tanto falta um candidato à direita como um bom candidato à esquerda.

2 comentários: