terça-feira, 9 de novembro de 2010

Gostava muito que isto não me afectasse, mas afecta.

Para o meu Pai, para o Fernando e para o David, que são do Benfica como eu, que sofreram domingo o que eu sofri.

Dizem-me que é só um jogo, que aquilo não conta para nada. Há quem me tenha dado batidas condescendentes nas costas, houve os risos dos que não percebem nada do jogo e até os cumprimentos honestamente pesarosos de quem, mesmo estando do outro lado, sabe o que isto custa.
Vieira e seus pares terão, porventura, tido uma segunda feira mais sossegada nas suas mansões. Fizeram as suas malas para Angola onde farão discursos vazios e onde aproveitarão o nome Benfica para ganhar mais algum para os seus negócios. As suas contas bancárias continuaram, decerto, com mais dígitos que o meu NIB, e se calhar enfrentaram a 2ª feira sem mais nenhum problema. As parangonas dos desportivos já pouco devem dizer a esta gente e acho que, quando a direcção reunir, cheia de CEOs e de gente muito importante, a única referência ao jogo de domingo será numa base de cálculo para as vendas de camisolas e coisas assim. Duvido que alguma dessas pessoas frequente sequer um café ou, mesmo que o faça, que a fama de Benfiquista seja tal que seja gozada.
Eu sou aquele Benfiquista que toda a gente conhece no local de trabalho. Eu sou aquela pessoa de quem toda a gente que me conhece se lembra quando vê qualquer notícia sobre o Benfica na televisão. Eu amo o Benfica mais do que muitas coisas que as pessoas normais gostam na sua vida e não ponho a hipótese de ser quem sou, como ser humano, se fosse de outro clube. Era outro que não eu. Eu sou do Benfica até à morte, o Benfica faz parte de mim e tenho mais orgulho nisso do que na minha profissão ou do que 99% das conquistas da minha vida.
No domingo adormeci mal, dormi pouco e acordei a meio da noite sem conseguir adormecer. Entrei no trabalho e perguntaram-me se tinha morrido alguém. Passei o dia ao telefone com as poucas pessoas que conheço que são tão doentes como eu e que compreendem a dor que aquilo é. Não é o gozo, não são as piadas dos outros. Quando o Benfica perde - e sobretudo quando perde assim - podiam-me bater 4 horas sem parar que não ia doer mais. Se o Benfica tivesse perdido no domingo e só eu tivesse sabido, eu ficava fodido - sim, fodido, não é lixado, nem zangado, nem triste, nem o caralho, era mesmo fodido - como fiquei.
Portanto, o que me dói é ver o Benfica gerido por uma estrutura não só ditatorial, com um tipo que rouba e rouba bem, com um tipo que controla um jornal como "A Bola" com um rigor que até fere a vista - e quem viu a capa do mesmo ontem e hoje percebe como Vieira já lavou as mãos e já tem um alvo que leve com o descontentamento do adeptos - mas também por uma cambada de incompetentes que se está a borrifar para o que isto implica.
Eu, se trabalhasse para o Benfica e errasse, vinha pedir desculpa a chorar. Eu, se fosse jogador do Benfica, matava-me - literalmente, se fosse preciso - em campo. Se mandasse, obrigava desde o ponta de lança até ao motorista que leva os miúdos do basquetebol infantil aos jogos fora a darem o que têm e o que não têm pelo Benfica. Mas não. O capitão do Benfica resolveu dar uma cotovelada a um gajo para se por a milhas do inferno que estava a ser o jogo de domingo. O presidente (um anormal que só ganhou dois campeonatos e que lixou logo a seguir os 11 que os conquistaram) está ocupado a burlar o BPN ou a fazer negócios com o Eduardo dos Santos. Eu só queria, por um período suficientemente grande na minha vida que limpasse toda a merda que eu já vi, que limpasse toda a merda que eu já sofri, tudo o que eu já chorei em silêncio e nunca disse a ninguém, que o Benfica fosse gerido por gente capaz, com um rumo que não fosse meter dinheiro nos bolsos já cheios, mas sim fazer gente como eu feliz. Eu só pedia isso.
A pouco e pouco hei-de conseguir recuperar a fome, o sono e o interesse pelas banalidades da vida. Estou melhor, obrigado a quem se preocupou.

4 comentários:

  1. porra é impressionante como me revejo nos teus textos. tb eu nao dormi nada naquele domingo tb eu usei a derrota como comparaçao de dor com uma perna partida e ng percebeu o que eu e os verdadeiros sentem nestas alturas... um abraço

    ResponderEliminar
  2. Uau...principalmente pela parte do Benfica se confundir comigo, é isso. Lentamente volto a consultar a blogosfera, os fóruns, os sites dos desportivos, mas só pensar no que aconteceu domingo e no que aí vem...dói demais.
    Está na altura de agir, as coisas não se podem manter assim.
    Irá demorar, mas o rei-sol irá cair.
    Haja fé, paciência e muita perseverança.
    Um grande abraço

    Sócio nº73461 do S.L.Benfica

    P.s: o meu comentário ao post anterior não foi aprovado, com todo o direito, mas pelo menos tenho a satisfação de a mensagem ter chegado ao destino.

    ResponderEliminar
  3. Cuidado com a tendência para a auto-destruição, a principal razão para que os nos últimos anos não consigamos ter êxitos sustentados. Os bestiais de ontem não são agora todos bestas. Essa, e não a fruta, é a principal razão para que o Porto seja o clube com mais sucesso nos últimos anos: eles tem sempre confiança que os insucessos sejam temporários, e que mais cedo ou mais tarde voltam a ganhar; nós temos medo que o sucesso seja efémero, e que tudo volte aos anos da crise. Por mais reaccionário que isto pareça, o Benfica, neste momento, precisa de ser conservador e acrítico, tem de apoiar mesmo que isso pareça contraproducente.

    Como já percebeste, não gostei do post, e ainda menos do comentário acima, "o rei-sol irá cair"... Como os nossos adversários se devem rir da nossa tendência para a crise. Por agora apoie-se o Jesus, o Luisão, o David Luiz e o Rei-Sol, quando for a altura que se faça o balanço (e o balanço do mandato do Rei-Sol é algo a discutir, e com calma, que é preciso sempre ver de onde ele partiu e o que ele conseguiu), mas por favor não agora com o coração ao pé da boca e com a emoção a matar-nos a razão. Isso não dá bom resultado, e faz-me lembrar um nome: Vale e Azevedo. Abraço

    ResponderEliminar
  4. Estás enganado, André. É o facto de termos deixado o Rei - Sol achar que ganhar um campeonato em 5 anos que estamos como estamos. É termos deixado o Jesus dizer que queria ser campeão europeu e não lhe termos dado logo duas chapadas nas trombas que nos põe assim. É não nos termos preparado para um porto forte.
    O sistema é ganhar. Os gajos do porto não deiam de refilar por fé em triunfos futuros. Não refilam porque esses triunfos têm chegado. Eu lembro-me do Macaco, líder dos super dragões, gritar aos microfones que era inadmissível o clueb ficar 3 anos sem ser campeão nos (bons) tempos do Octávio.
    Não concordo que Jesus caia (muito menos agora), mas contra o problema - que é estrutural - do Benfica hei-de gritar sempre. Não é auto - destruição, é auto - defesa. David Luiz, Saviola, Maxi e todos os outros que o ano passado brilhavam e este ano só enterram fazem-no porque a direcção permite, porque a direcção não está preparada para lidar com isso. "Dirigir é prever". E como LFV não prevê mais do que encher os bolsos, precisa de ser corrido. Mais, André: ninguém me apanhou a falar bem da direcção do Benfica o ano passado. Mais, escrevi sempre, sempre, sempre que o que queria era um período vencedor. A meio de 2009/2010 já sentia o Benfica campeão (mas nunca o admiti para não dar azar) e já pensava em 2010/2011. Quem manda no SLB é que não, ou então pensou muito, muito mal.

    ResponderEliminar