segunda-feira, 22 de fevereiro de 2010



Sem nada a acrescentar.

Eu só quero Benfica Campeão!

Faltam dez jornadas, um  terço do campeonato. Mais pontos, mais vitórias, melhor ataque, melhor defesa. Mas, ainda assim, falta um mundo para o que tanto desejamos. Acredito que o Benfica é a melhor equipa portuguesa. E, também eu, pessimista militante, já saí da caverna do negativismo e acredito que vamos ser Campeões. Apesar disso, acho que vamos sofrer estupidamente até lá.
Primeiro porque este tem sido um campeonato em que três equipas estão com números muito acima da média, com muito poucos pontos perdidos. Depois porque temo uma quebra física do Glorioso. Tenho medo que a Liga Europa, com os seus milhares de jogos na fase decisiva da coisa, nos leve para um poço sem fundo. Não se pode estar bem lá fora sem estar bem em casa. E mais vale um pássaro na mão do que dois a voar. Quero é ser Campeão. O resto são tretas.
Terceiro, e esta é a mais importante de todas as razões: porque ninguém quer, para além de nós, que o Benfica ganhe. Ninguém. Aliás, daí vem todo o ruído desta época. O Benfica vencer é contra o sistema, é contra as regras impostas. Daí que, quando o Benfica vai à frente, um "notável" azul e branco lance um livro sobre o caso Calabote (que foi há mais de 50 anos e aconteceu num ano em que os azuis foram campeões, tal foi a influência directa do bicho. Já sobre os Calheiros há poucas peças literárias do mesmo autor.). O Benfica ir à frente faz com que a decadência verde e branca venha finalmente ao de cima (quase 30 anos com dois campeonatos ganhos são um dado que sempre ficou escondido debaixo da crise Benfiquista). O Benfica ir à frente faz com que o presidente do Braga mande bocas, avise que os seus jogadores vão ser assediados, que não precisa de antecipar jogos, isto quando o seu clube devia ter começado a segunda parte do jogo contra o Benfica com 8 contra 11 segundo as imagens, mas começou com 10 contra 10. O Benfica na frente faz com que cada lançamento de linha lateral nos nossos jogos seja esmiuçado, com que cada lance seja gritado histerica e loucamente.  O Benfica ir à frente faz com que a principal claque do clube cujo presidente o país ouviu a dar indicações a um árbitro para chegar a sua casa escreva "Falsidade e Roubalheira" a vermelho, tal é a raiva, tal é o desespero que têm para não nos ver a ganhar.
Durante anos e anos deixámos que os anti se rissem e festejassem as nossas classificações e equipas medíocres. O tempo que passou foi tanto que eles se habituaram. O Benfica ganhar é algo de estranho para eles. Vai contra aquilo que demoraram anos a construir (da maneira que todos conhecemos). Daí que quando o Benfica ganha uma Taça da Liga com um penalty mal marcado árbitro tenha que pedir desculpa (nunca, em toda a minha vida, um árbitro pediu desculpa por nos roubar. A lista é infinita).
Este é o nosso principal adversário: o ruído que todos vão fazer para tentar com que o Benfica não seja Campeão. É preciso não esquecer que, apesar da proporção não ser essa, para cada comentador Benfiquista há dois Anti Benfiquistas e que vamos ter que ouvir a campanha a dobrar até ao fim.


Faltam dez jornadas, temos melhor equipa.
Vamos a eles, Rapazes. Sem medos.
Força Benfica!

segunda-feira, 1 de fevereiro de 2010

Desculpa futebol, mas estamos em guerra

Sinto que tenho de pedir desculpa a esta grande paixão de todos nós que é o futebol. Nas últimas semanas, não temos falado dele, M. É só túnel para aqui, escutas para acolá. Honra seja feita ao plano do Rui Costa. Estão a conseguir meter-nos todos na lama.

Mas não há como fugir. Quando te resumi o nacional-Porto falei “n” dos lances polémicos e só depois é que me lembrei de te dizer que o Rúben Micael é jogador. Se bem me recordo, disse-te que:

- Podia ter sido assinalado penalty a favor do nacional, porque efectivamente a mão do Fucile está no Edgar. Assim como a do Edgar está no Fucile antes. Para mim, não era nenhuma das duas. Ou então o Fucile foi menino em não se ter atirado para o chão, porque toda a gente sabe que em Portugal aquilo dá origem a uma “falta atacante”.

- É penalty claro sobre o Álvaro Pereira. Não há como negar. O jogador acerta-lhe e ele não pode rematar para golo.

Claro que depois vi o resumo da RTP...



... e percebi que estava enganada.

- É penalty claro do Fucile sobre o Edgar.

- O Álvaro Pereira atira-se para o chão.

Mas depois vi o resumo da SportTv...



... e vi que há imagens que o jornalista da RTP se esqueceu. Façam lá o exercício de ver os dois e reparem nas imagens que não passam na primeira. É tudo uma questão de se ver o que se quer ver.

E depois chegaram as imagens do túnel, desta feita na SIC.

- Que não têm som.
- Que passam das imagens corridas quando não se passa nada, para uma sucessão de frames quando há confusão.
- Onde eu, que sou mesmo muito portista, vejo o que quero ver. E, com muita pena minha, não vejo o "acto contínuo", em que o "Sapunaru deu um salto e, no ar, desferiu um pontapé com a perna direita, de frente para o steward Sandro Correia, atingindo-o de raspão na zona abdominal". Eu, que achava o Sapunaru um menino, gostava de ter visto isto. Mas não vi. Nem vi que o Hulk "tentou de imediato agredir novamente o referido Sandro com mais dois socos e desferiu ainda um pontapé com a perna esquerda". Pois, estou a citar o despacho da acusação. Os senhores (e o Rui Santos e a benfica TV...) viram isto, eu não.

Mas depois vi os jornais...







... e percebi que não sou a única a ver o que quero ver. Todos o fazemos, não é?

Isto é lixo. É nojo. É porco. É mau jornalismo, é mau futebol. É planeado por más pessoas.

E agora a questão é: quem se vai afundar na lama? Até agora, temos sido nós. Eles têm sido mais manhosos, coisa a que não estou habituada. Mas, por muito que me incomode, o nosso discurso de “somos melhores” tem de acabar. Temos de entrar na pocilga e começar a chafurdar. Vamos para cima deles.

Vamos acordar cedo num domingo e lembrar-nos de exigir logo um sumaríssimo para o Javi Garcia. É um pequeno passo, mas temos de começar por algum lado.

Quero aquele Porto feio, porco e mau. Quero sangue, suor e lágrimas. Quero todos os clichés que sirvam para dizer que não os podemos deixar jogar este campeonato sozinhos.

P.S. Por que é que só as minhas peças têm comentários? E por que é que os nossos comentadores são todos lampiões? Onde andam vós, meus camaradas tetra-campeões?

A Luz ao fundo do túnel

Chegaram as imagens! Várias coisas: o fóculporto já não é o que era. A "organização exemplar" numa cena de porrada no túnel deixa o João Pinto à porta?! O clube que tem sempre tudo sob controlo comete um erro assim? Isto é como meter o Falcao a jogar a defesa. O João Pinto de fora. Já não é como no meu tempo. Se bem que Sapunaru e Hulk honram velhas glórias como Paulinho Santos e Fernando Couto (o caceteiro do fóculporto, não o central fino que nasceu em Itália e pontificou no Euro 2000. Para mais informações sobre o primeiro ver aqui). Tenho ideia que Sapunaru não jogou, mas vê-se que o rapaz estava com vontade. Já o Hulk lembro-me bem de ter jogado, mas percebe-se agora que estava a guardar as energias para o final (mais uma vez, eu ainda sou do tempo em que a "energia" deles era tanta que até andavam à porrada quando nos marcavam...). Para mim não há grande polémica, e admito já que não vejo muito bem ao perto e que - coincidências! - continuamos sem som no computador cá em casa: Sapunaru e Hulk agridem os stewards. Sinceramente, não consigo discernir mais grande coisa. Aliás, as imagens são um conjunto de frames que mal dão para discutir ou ver grande coisa. Cada um vê o que quer.
Apesar disso, e isto deve ser da minha miopia, não vejo o chefe de segurança do fóculporto em grande perigo no meio dos "mouros". É que pela nota de culpa do instrutor do processo essa é a alegada razão para os jogadores do clube de azul saírem de maneira tão desorientada do balneário. Se alguém o encontrar que avise.
Mais: eu não sou anjinho nenhum. Acredito piamente que os stewards provocaram. E não me choca nada. Aliás, eu, se fosse steward, tinha provocado e bem. Estou farto de ter apanha bolas que dão a bola rápido ao adversário quando nós estamos a ganhar, estou farto que jogadores nossos, lesionados, não se atirem para o chão para o jogo parar e serem assistidos e passamos ali um minuto a poder levar um golito. Estou farto de ser papado por parvo. Estou farto de parecer do ceportém.
Estas imagens são brutais. E porquê? Porque são o símbolo de uma política consciente do Benfica. Finalmente percebemos que temos que deixar de ser meninos de coro e que os podemos fazer cair nestas coisas. Finalmente temos um canal de televisão que passa a mensagem aos adeptos. Já não há "notáveis" a vir mandar bocas. Já não há chibos a virem dizer que vem aí o Totti e dois dias depois aparece o Tote (mas ainda há falhas que permitem que eles saibam que o Ramires vai jogar).
Passámos a ataque: as escutas para a net para descredibilizar, as imagens para mostrar como eles são violentos, "A Bola" finalmente controlada outra vez (sim, não tenho vergonha de o dizer). Estava farto de ter todas as capas a destabilizar, de não ter poder nenhum e ser comido. Deixámos sempre esse terreno para eles. Achámos que bastava ser melhores no campo. Acham coincidência termos estado este tempo todo sem o ser? Se eu gostava que isto não estivesse em guerra civil? Adorava. Discutíamos só a bola em si, era maravilhoso. Mas há muito que o futebol português não é assim. Eles organizaram-se e durante 25 anos comeram-nos vivos. Na primeira vez em que metemos à frente do futebol um tipo que é do Benfica como eu e que percebeu que o alvo são eles, deixámos de falar no café que "o árbitro estava comprado" e temos imagens deles a agredirem stewards na TV. Eu vi o Paulinho Santos a agredir o JVP e o canal que transmitiu o jogo só descobrir as imagens quando outro canal o passou. A diferença desses tempos para agora são um mundo.
Talvez levem o que eu escrevi a mal, mas tenho-vos a dizer que estamos a discutir o campeonato com eles e com um clube controlado por eles, só para terem em mente a dimensão do polvo. O que estas imagens mostram, mais do que quem agrediu quem, é a ferida aberta no clube do Martins dos Santos. É mandar sal. Se formos Campeões (falta muito, muito, muito) por mim até podem dar uma faixa aos stewards.
Eu vi uma equipa com o Paneira, Rui Costa, Paulo Sousa, JVP, Futre, Isaías, Kulkov, Mostovoi, Iuran, Mozer e Schwartz não ser campeã porque éramos uns meninos. Porra, e se éramos melhores que eles... Mas, ao fundo do túnel, podemos finalmente ver a Luz e voltar a discutir o domínio do futebol português. Lamento imenso que tenha de ser assim, mas já perdi a inocência há muito. A eles!
(Weah para steward na Luz, já!)