terça-feira, 17 de maio de 2011

Mingos: não me faças mal

Mingos,

Cresci a gritar os teus golos, a admirar-te como jogador, a ir pedir-te autógrafos às Antas. Foste um dos meus grandes ídolos e, apesar de na escola preferir bonecas e saltar à corda, era capaz de discutir com os rapazes se eras melhor do que o Kostadinov ou não.

Por tudo isso, porque quando penso em ti só vejo azul e branco à frente, é-me geneticamente impossível desejar-te mal. Não consigo insultar-te, detestar-te, ver-te como um adversário. Ao ouvir-te hoje a falar com tanta vontade de ganhar, há mesmo um bocadinho muito foleiro de mim que até nem se importava de te ver feliz.

Mas, Mingos, amanhã é dia para o nosso Porto ganhar. Amanhã é dia de ficar na história, de ver os Aliados e o Dragão cheios de povo, de colocar mais um troféu no museu do clube português com mais títulos internacionais. Amanhã vou a Dublin e quero vir de lá com ainda mais orgulho em ser portista.

Eu percebo que queiras ganhar. És um bom profissional, fizeste essa tua óptima equipa e para o ano vais cometer o maior erro da tua vida, por isso é bom que aproveites esta boa fase. Serás sempre um dos nossos, iremos sempre ver-te como um dos bons, mas desta vez lamento dizer-te que não estás do lado certo.



Mingos, por tudo o que me fizeste gostar de futebol, por todos os teus golos que festejei, porque vais ser sempre um dos meus grandes ídolos: amanhã deixa-me ser feliz.

2 comentários:

  1. somos mesmo grandes, enormes! ;)

    estou super feliz! e o melhor é que esta época ainda não terminou!! ;)

    «este é o nosso destino»: «a vencer desde 1893»!

    saudações desportivas mas sempre pentacampeãs! ;)

    Miguel | Tomo I

    ResponderEliminar
  2. M. escreve la qqr coisinha eu sei que andamos todos deprimidos mas cansa so ler textos da c.
    um abraço

    Miguel slb

    ResponderEliminar