segunda-feira, 22 de agosto de 2011

O sportem é invencível

Confesso que começo a ficar com medo do sportem. Já lá vão dois jogos no campeonato, um deles no tradicionalmente terrível campo de alvalade, mais um contra um colosso do futebol nórdico, e derrotas… zero. O sportem, na prática, está invencível!

Invencível:
1. Que não pode ser vencido.
2. Insuperável.
3. Irresistível.


O ano passado, após um empate com o FCPorto, no sempre difícil terreno de alvalade, Daniel Carriço dizia que o sportem tinha mostrado que os dragões não eram “imbatíveis”. Ora, repito, isto foi dito APÓS UM EMPATE, quando o meu clube caminhava para um título sem derrotas.

Agora, é a vez dos lagartos mostrarem como estão empenhados em lutar por manter esta invencibilidade. Com o olhanense, num estádio sempre muito hostil para com o sportem (alvalade), a equipa arrancou um empate a 1. Recordem-se que, no ano passado, o empate com o olhanense no sempre complicado campo de alvalade foi a 0, o que demonstra bem a veia goleadora do sportem 2011/2012.

Já em Aveiro, e depois de no ano passado ter empatado aí a 1, o sportem conseguiu manter a baliza de Rui Patrício inviolável, outro adjectivo que Carriço poderá verbalizar com agrado, se se lembrar que, pelo meio, com o Nords-qualquer-coisa, o guarda-redes também não sofreu golos. Um registo notável.

Incrivelmente, os comentadores já começam a falar em “crise” no sportem. Crise? Num clube invencível e imbatível? Mas esta gente está doida? Ou é tudo inveja? Digam isso ao leiria, que em duas jornadas perdeu duas vezes, e vocês vêem como muitos clubes dariam tudo para estar no honroso oitavo lugar ocupado neste momento pelo sportem.

Na análise ao jogo que confirmou a invencibilidade do sportem, os jornais preferem destacar a novela do árbitro Fernando Martins, o homem que provou que qualquer um de nós podia ser árbitro na Primeira Liga, o melhor em campo eleito por unanimidade, tal foi a qualidade da partida. E fala-se muito das duas substituições ainda na primeira parte do Domingos, a única pessoa que ainda acreditava haver um onze equipado de verde e branco minimamente preparado para competir pelo primeiro lugar.

Agora um bocadinho mais a sério: o sportem é triste. É triste porque não ganha, não joga nada, tem jogadores maus e ainda se vem queixar dos árbitros, como se não fosse o grande mais beneficiado pela arbitragem nos últimos anos, enquanto os outros dois andam às turras e não reparam.

Ainda não percebi se o Carlos Freitas é o novo comentador desportivo de todos os órgãos de informação ou se é apenas uma parvoíce dar-se tempo de antena a esta gente que, sublinho, não faz nada para ganhar um jogo a não ser pressionar os árbitros.

Sim, eu compreendo que o “pode-ser-o-João” não seja um gajo muito simpático para apitar um jogo quando a equipa está tão má, tão má, que só mesmo um milagre chamado... sei lá... Vítor Pereira (e não é o treinador do FCP, mas sim o gajo que conseguiu não ver três penalties a favor do Porto em alvalade) a podia salvar. Mas a atitude dos dirigentes do sportem conseguiu estar ao nível do Wolfswinkel. Virem queixar-se dos árbitros quando, depois de tantas contratações, o Domingos é obrigado a meter o Djaló de início, é mais ou menos a mesma coisa que o Postiga vir queixar-se dos fiscais-de-linha por levantarem a bandeira só porque entre ele e o guarda-redes há um imenso vazio.

Estou curiosa para ver até onde pode ir esta birra dos lagartos com a arbitragem. Antecipo desde já, a este propósito, a minha disponibilidade para ir apitar o próximo jogo do sportem, no terreno sempre adverso de alvalade.

2 comentários:

  1. Birra? Mas qual birra?

    Mas é o zbording que anda a dar conferências de imprensa, ano após ano, a choramingar das arbitragens? O SLB e o FCP não, queres ver? ahah.

    Memória curta e selectiva, C.

    Ainda a época passada o ilustre Antero Henrique deu uma conferência de imprensa a choramingar por causa da arbitragem.

    O post está giro, com piada, bem escrito, mas como só poderia ser está também cheio de loose ends. Normal, vindo de uma adepta do Fóculporto. ;)

    Quanto ao golo do Olhanense não vejo qualquer espanto. O zbordingue empatou porque do lado de lá jogava um belíssimo jogador do zbordingue que não olha a meios (como é óbvio) para triunfar e vai daí mandou um grande pontapé canhão: golo. Na realidade o Sporting nesse jogo matou 3 golos. Bostiga, W. Eduardo e Ismylove.

    Curioso porque quando os clubes dos jogadores emprestados do Fócul jogam contra o Fócul normalmente estão ou com dói-dói ou dor nas nalgas. Que azar pá!

    Bem, e como o zbordingue é «o grande mais beneficiado pela arbitragem nos últimos anos» (ahahahahahahah) vou só ali ao youtube ver os pénaltes inventados a favor do FCP, o golo offside do Nolito e ouvir umas conversas ao telefone do grande Jorge Nuno Bimbo da Costa.

    Inté!

    ResponderEliminar
  2. @ lagarto

    não te esqueças de ler as escutas ao Luís "Orelhas" Bieira e da notícia da camionete do Zbording/Sportém, ok?

    «este é o nosso destino»: «a vencer desde 1893»!

    saudações desportivas mas sempre pentacampeãs! ;)

    Miguel | Tomo II

    ResponderEliminar