segunda-feira, 19 de setembro de 2011

Tropeções

Se há coisa à qual o fóculporto nos habituou foi à sua competência. São raríssimas as eliminações na Taça contra equipas mais pequenas e aqueles deslizes que comprometem campeonatos. Habituados a fruta até para um fóculporto - Estrela da Amadora e contando com a presença de vários amigos como treinadores, (pontificando Domingos e Pedro Emanuel como ex-jogadores, Luís Miguel como cunhado do próprio treinador do fóculporto, além da vassalagem já clássica de braga, nacional, setúbal e união de leiria), é muito raro o o clube do Guarda Abel tropeçar.
Foi, então, com surpreendida alegria que recebi o empate dos azuis ontem.E é bom porque volta tudo ao inicio. Desde o começo do campeonato que marquei o clássico da jornada como decisivo. O Benfica não podia chegar lá atrasado, sob o risco de perder e ficar com o título por um canudo. Seguir-se-ia uma Xistrada qualquer e pronto, mais um título por falta de comparência.
Sonho com o dia em que os tropeções deles sejam normais. Um tempo de sonho onde não há treinadores de equipas pequenas familiares do treinador dos azuis. Cabe-nos a nós ser perfeitos. Porque mesmo quando o fomos, só celebrámos a 15 minutos do fim do campeonato.
Concentra-te, Benfica. E não tropeces.

1 comentário:

  1. pergunta: o «fóculporto» compete na mesma liga que o 5lb e vice-versa, certo?

    ResponderEliminar