segunda-feira, 2 de janeiro de 2012

Nós ainda vamos a tempo de uma grande carreira de bloggers!

Arruinámos as carreiras de bloggers um ao outro. Quando éramos (mais) jovens e (mais) imberbes, pontificávamos (verbo elogioso só utilizado na língua futebolística, já repararam? Não quero morrer sem ouvir dizer que sou um médico que pontifica em Santa Maria) no Diário de um Ultra e no Jornal da Tripeira.
A vida sorria-nos, éramos recorrentemente elogiados em fóruns, citados noutros blogs. A Catarina estaria hoje a pontificar no Porto Canal e eu estaria agora a acenar a qualquer coisa que o Máximo estivesse a dizer. Mas não, aqui estamos neste canto, perdidos e isolados. Parecemos o Abel Silva (o lateral direito de Riade, seus incultos!) ou o João Coimbra, a arrastar-nos em jogos entre amigos antes do jantar ou em terrenos ainda mais deprimentes, a sonhar com os palcos que nos foram prometidos. Eu e a Catarina já fomos quarter – back e cheerleader, invejados por todo o liceu. Hoje somos dois totós com botas ortopédicas e óculos de garrafão.




Ninguém confia em quem dorme com o inimigo. Eu percebo e sinto isso. Já ninguém me fala de possíveis contratações, já ninguém discute os erros tácticos de Jesus comigo com medo que eu me descaia numa noite apaixonada e que a Catarina, qual Mata Hari, vá depois contar ao Pinto da Costa. Todos condescendem, paternalizam o meu Benfiquismo como se já não fosse válido, enfim, sou tratado com um aleijado.

Vem isto a propósito de terem sido entregues prémios no Eterno Benfica e de eu nem ter sido nomeado. É uma injustiça lesa – Benfica e lesa – bloggismo até porque foram nomeados blogs não alinhados com a Direcção e pensei que nesse campo já tinha dado cartas suficientes. Mas não, neste canto já ninguém me lê. Ninguém tem paciência para blogs partilhados, como se o fanatismo do texto abaixo pudesse, de certa forma, abafar o fanatismo deste texto. Enfim, é de uma injustiça brutal. Não posso agora, como o Ricardo (que seria um muito justo segundo, mas distante do primeiro, melhor blog do ano), dar wallpapers aos meus fãs.

Serve este post para dizer então que 2010/2011, assim resumidamente, foi uma merda. E que 2011/12 até agora não está mal, mas que só pode ser avaliado daqui a uns meses. Isto, claro, porque eu não penso em anos civis. Não me serve de nada pensar em 2011 a partir de 1 de Janeiro (quando estávamos já arredados da luta do título) a 31 de Dezembro (quando estamos mesmo no meio de outra luta) porque se misturam coisas diferentes. O meu fim de ano são aquelas semanas estúpidas onde nem um amigável tenho para ver se só me entretenho com as cinco mil contratações diárias que me anunciam. Portanto, desejo um bom 2011/2012 ao Benfica (sem sequer perder tempo com aquela parvoíce do Euro 2012, ia lá agora gastar um desejo com essa parvoíce). E isso seria o Campeonato Nacional primeiro, a Champions depois (e quem não perceber que é preciso ganhar três, quatro, cinco campeonatos de seguida e que a Champions é uma coisa distante para nós, não tem uma noção real do nosso valor), seguida da Taça da Liga. O resumo de 2010/2011 – para os puristas dos anos civis - já o fiz mais do que uma vez e, assim resumidamente, foi uma época de merda.

Em termos de blogs, o Ontem Vi-te no Estádio da Luz, o 227218 (sugerido pelo Mago – outro grande blogger, mas intermitente) e a Mão de Vata seriam bons candidatos ao segundo classificado a seguir a mim. Um bom 2011/2012 para eles também.
Nós, no nosso cantinho vamos tentar recuperar as nossas carreiras de bloggers, aplaudidos pelos mais doentes de todos.

3 comentários:

  1. Eu, como vencedor claro de tudo e mais alguma coisa, só tenho a dizer que só ganhei porque este homem desapareceu do mapa. No fundo, sou uma sombra do M. que persiste e insiste. E os livros são amigos - nunca se esqueçam disso. Mesmo livros maus. Antes isso do que a cadeira eléctrica.

    ResponderEliminar
  2. Atenção a quem chamas inculto, eu andei com muletas que eram eram do Abel Silva quando pari uma perna, esse senhor jogava então no Club Sport Marítimo. Há dias encontrei-o e fui falar com ele (ah, lembra-se e tal, etc?)... no estádio da Luz!
    Elias

    ResponderEliminar
  3. E eu aplaudo.

    O Diario de um Ultra era qualquer coisa pa', e foi uma Biblia autentica enquanto sofria `a distancia em Erasmus no segundo semestre de 2004/2005.

    Agora e' ver se da' para recuperar algum do ritmo dos posts da altura, ainda que possa ser mais dificil hoje em dia - e chamares-me "intermitente" quando o ultimo post que escrevi e' de 2010 e o 7o post que se encontra no blog e' de 2007 e' no minimo simpatico.

    Abraco!

    ResponderEliminar