terça-feira, 14 de fevereiro de 2012

Portuguesa sim, mas totó nunca

Estamos em semana europeia. Até para o sportem. O que significa que eu vou ter de, mais uma vez, multiplicar a minha personalidade de forma a num segundo ser do Legia de Varsóvia desde pequenina e noutro sentir S. Petersburgo como a minha casa. Sou uma espécie de Fernando Pessoa, mas, em vez de escrever, gosto mais de festejar as derrotas e humilhações dos outros.

Nunca alinhei no argumento “vamos torcer pelas equipas portuguesas na Europa”. Porque simplesmente não o compreendo. Então eu, que sou portista (não sei se já tinham percebido), tenho de torcer pelos meus adversários porquê? Porque partilhamos a nacionalidade? É verdade, mas também partilhamos a rivalidade, a competição, o ódio até. E isso é muito mais forte do que aquela parte no BI que temos em comum.

Não consigo compreender como é possível num sábado estar a torcer para que o Aimar parta uma perna e na quarta-feira a seguir festejar um golo dele. Só porque é “na Europa”.

É que a Europa nunca me fez mal nenhum. O Besiktas, o Legia e até o Zenit não andam propriamente a afectar-me todos os dias. Não são os jogos deles que vejo todas as semanas à espera que percam. Não são eles que torcem para que o meu clube perca. Não é neles que penso quando planeio colocar uma bomba num estádio.

Já os outros, “os portugueses”, dão-me cabo da cabeça. E eu quero que percam sempre, mesmo num jogo a feijões com a respectiva equipa B. É por isso que muitos me chamam de maluca, radical, extremista. Com todo o prazer. Demonstram mesmo alguma ignorância, uma vez que eu nunca conheci um país com futebol decente em que todos torcessem pelas equipas nacionais nas competições europeias.

Em Barcelona, politicamente correcto é desejar que o madrid leve 5 do CSKA. Em Londres, os adeptos do chelsea têm algo do milan dentro de si, e os do arsenal sentem a costela do nápoles a vir ao de cima. Dizer a um italiano que tem de torcer pelo seu rival é mais arriscado do que viajar agora para a Síria. Eles compreendem-me.

E o mais engraçado é que, por cá, achamos imensa piada a essas rivalidades. O Porto vai jogar a Liverpool e fazemos uma reportagem com os adeptos do everton. Ai que giros que eles são, a torcer por nós porque não gostam dos vizinhos. Tão catita! Mas uma portuguesa que tenha uma página da Internet aberta com o último onze do Legia de Varsóvia, em busca de potenciais alegrias, ai que essa já é maluca, radical e extremista.

Aplaudir um corte do Polga (lol, esta teve piada), entusiasmar-me com uma arrancada do Gaitan, desculpar o João Pereira de um cartão vermelho evidente, são coisas que nunca vão acontecer. A não ser que beneficiem o FCPorto de alguma forma. E não me venham com a conversa do “és mais portista do que desportista”. Como se isso não fosse o maior elogio que me podiam fazer.

7 comentários:

  1. Plenamente de acordo, Benfiquista sempre por isso na quinta vou torcer pelo Baloteli :) Quanto ao vizinho aqui da segunda circular como eles dizem "o scp é o nosso humor " por isso....

    ResponderEliminar
  2. Falando em Portugueses e em vermelhos evidentes ... :P

    ResponderEliminar
  3. Ora aqui está algo em que podemos concordar, com uma pequena excepção: por mais que eu queira ver o city a imitar o arsenal contra o porto, não quero que o lucho parta a perna - de resto, o teu desejo parece somewhat incongruente com o post sobre o aimar, mas adiante, ninguém disse que o futebol tinha lógica.
    De qq maneira o vosso animal - de fractura para cima é q eu lhe desejo - deve ter-te satisfeito o ímpeto agressivo com aquele nojo que fez ao rodrigo

    ResponderEliminar
  4. Quem não me conhece não tem, obviamente, o poder de adivinhar o limite entre o que realmente quero e o que escrevo por piada. É o caso.

    ResponderEliminar
  5. Estou a cem por cento com este texto. E é isto tudo. Saber que vocês vão levar pazada para cima de 7 em Manchester deixa-me a salivar. Excelente prosa.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Antes do jogo, fartei-me de dizer "Só não quero é levar 5". Uma exigência cumprida, portanto. Para a próxima vou tentar dizer "Só quero é ganhar". A ver se cola.

      Eliminar
    2. Vamos lá ver uma coisa: existe um ranking que se chama ranking da UEFA e este ranking avalia nada mais nada menos que as prestações dos clubes dos vários países nas competições europeias. Espanha, Inglaterra e Itália são os países que dominam este ranking, porque os seus clubes conseguem proezas nas competições da UEFA, e, como tal, têm o direito de enviar mais equipas para as mesmas competições, o que não deixa de ser prestigiante para o país. Portugal, neste momento, ocupa o 5º lugar do ranking, o que se traduz no facto de enviar duas equipas directamente para a fase de grupos da Champions e uma para os play-offs. Por isso, torcer por equipas portuguesas é o mesmo que torcer para a prestação de Portugal no ranking, e, indirectamente, torcer pelo seu clube, pois suponhamos que o Porto termina a liga em 3ºlugar (como aconteceu há dois anos...): o que acontece, neste caso concreto, é que o Porto pode ver-se fora da Champions se Portugal não estiver bem posicionado no ranking da UEFA!

      Tenho dito!

      Eliminar