domingo, 11 de março de 2012

Dor

A vida até estava a correr-me bem. Ganhámos (mais uma vez) na luz, a equipa mostrou a sua raça e o treinador impôs-se finalmente. Naquela sexta-feira, o Porto voltou a ser Porto. Mas nem tive tempo de o gozar.

Uma cirurgia antecipada obrigou-me a ficar vários dias sem comer. Sem comer. Não sei se estão a perceber bem. Enquanto vocês andavam a gozar com os vossos amigos de outros clubes, eu estava a beber água para não desfalecer. É um mundo injusto, este.

Na terça-feira, dia da operação, o M. não foi à luz para ficar comigo (haverá maior prova de amor? *). A anestesia geral deixou-me noutra dimensão, mas o futebol sobrepôs-se naturalmente. À medida que ia acordando, perguntava ao M. quanto estava o zenit. A perder. Porra, mais valia voltar a dormir. E depois sonhava com os adeptos do Porto, a cantar em uníssono que somos (e queremos tanto voltar a ser) campeões. E depois acordava e a dor estava ali.

É uma dor que não se explica. O corpo parece que grita, sem se mexer parece que tudo se mexe e que não tenho qualquer controlo sobre isso. Não me posso virar para um lado porque dói, do outro ainda pior. Não consigo andar, nem sentar-me, nem sentir-me confortável de qualquer forma. Os medicamentos ajudam, mas nada me tira a sensação de que a qualquer espirro tudo vai sair do sítio outra vez.

Foi assim, até sábado. A minha saúde tirou-me qualquer antecipação pessimista do jogo e achei mesmo que ia passar os primeiros 90 minutos simpáticos da semana a ver o meu clube conquistar três pontos. Mas, afinal, o Porto nem entrou em campo.

O que eu vi ontem foi um grupo de incompetentes vestidos com a camisola errada. Vi o Sapunaru que vocês tanto exigiram a época toda a lateral direito a fazer asneira. Vi o Rolando a merecer levar duas chapadas. Vi o Álvaro a sonhar com o chelsea outra vez. Vi o coitado do Fernando a fazer tudo até levar com um camião em cima. Vi o Moutinho e o Lucho a andarem mais devagar do que eu, que tenho quatro buracos na barriga. Vi o James que vocês tanto querem a jogar de início a armar-se em palhaço. Vi o Hulk a não resolver. Vi o Janko perdido. E vi-os a todos sem vontade.

E, aí sim, doeu-me tudo. Como é que é possível que aqueles gajos, de uma semana para a outra, percam a vontade, a raça, a conversa do “somos Porto” e não sei quê? Mas está tudo louco? Terei sido a única a ficar enojada com a campanha mediática que já deixou Pedro Proença de fora desta jornada, tentando fazer-nos esquecer quem também foi prejudicado na luz? Serei eu a única a querer como o caralho calar aquela gente?

O que é que vos deu? Custa-vos correr ou custa-vos querer? Estão a brincar comigo? O que é que vocês têm para fazer a não ser ganhar o campeonato? Estão a pensar no chelsea e no real madrid? E pensam que alguém vos quer ao fazerem essa figura? Seja o quer for, parem. Parem, parem, parem. Eu não aguento isto. Dói-me tudo só de ver.

E dói-me, além disso, que o Porto ontem tinha ganho o jogo, mesmo só entrando nele aos 70 minutos, se não fosse o árbitro. O fora-de-jogo mal tirado ao Hulk, o penalty sobre ele e o anti-jogo premiado da académica influenciaram o resultado. Dói-me não por não estar à espera, porque estou sempre, principalmente uma semana depois de termos humilhado os outros na própria casa. Mas dói-me porque parece que aqueles 11 de azul que estiveram em campo não se ralam nada com isso. Não querem entrar em jogo e espetar-lhes logo 2 ou 3 para que os senhores de amarelo e preto nem tenham hipótese. Assim põem-se a jeito, como diz o outro.

Já percebi que vai ser assim até ao fim. Vamos ser capazes do melhor e do pior. Vamos ganhar jogos com nota artística e vamos perder pontos por falta de comparência. Vamos ser roubados e pressionados e, pelos vistos, vamos gostar. Tudo isto eu aceito, juro, o futebol é isto mesmo, não é? Só não podem é mostrar-me outra vez que não querem. Isso não. A vossa falta de vontade causa-me uma dor que não se explica.

8 comentários:

  1. Roubados??? foi da anestesia...

    ResponderEliminar
  2. rápidas melhoras, C.

    e não me refiro só ao futebol.

    Miguel | Tomo II

    ResponderEliminar
  3. Cat, como o que mais interessa é a saúde, antes de mais uma boa recuperação.

    Agora quanto ao post, o nojo que te deu ver o merdas do proença de fora, foi o mesmo que te deu quando o paixão ficou de fora depois dos erros em barcelos?

    Beijinhos, e as melhoras no que interessa!

    ResponderEliminar
  4. A diferença é que o Paixão errou para um lado, com uma das maiores influências no resultado que eu já vi. O Proença errou para os dois.

    ResponderEliminar
  5. O Paixão deixou passar em claro uma mão na bola por parte do Rolando. O Proença equivocou-se em todos os lances que precedem golos do visitante.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Epa, eu com malucos como o M. ainda discuto, mas com cegos não consigo.

      Eliminar
  6. C:
    É um claro sinal de melhoras, esta tua análise.
    Pelos vistos a operação não teve o êxito (total) que esperávamos (eu e o M.) ! Continuas a ver tudo de pernas para o ar !
    Em relação à atitude dos andrades contra a Briosa, eu explico:
    reduziram a dose, contando que chegava ! Erro de contas ! E se não fosse a ajuda final do penalty, pior seria.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Por ajuda suponho que fale da atitude do defesa da académica que lesionou o Fernando e não do árbitro que viu aquela mão quase tão clara como a do Cardozo.

      Eliminar