quinta-feira, 15 de março de 2012

O inimputável

Há pessoas que, devido à sua idade ou condição mental, são consideradas inimputáveis perante a lei. Quer isto dizer que são punidas de outra forma, normalmente mais leve, porque entende o Direito que destas pessoas não se deve esperar o comportamento que se exige a um adulto normal. Falamos, portanto, de Jorge Jesus.

Jorge Jesus é um bronco. Não sabe falar, não consegue elaborar um raciocínio e, pior, vive bem com isso. Há quem argumente que é um homem do povo, mas o povo para mim não é estúpido e, mesmo quando a vida não lhe proporciona uma boa formação, nunca esquece a humildade.

Num país normal, nunca Jorge Jesus poderia ser o treinador de um clube grande. A um homem que lidera uma equipa com enormes responsabilidades exige-se, no mínimo, que saiba conjugar um verbo. No estrela da amadora, podíamos achar piada ao treinador dos “motocards”, mas, no benfica, rezo para que o tradutor dos jogos da Champions tenha um texto escrito por si próprio.

Podem dizer-me que isto é futebol e que o Vítor Pereira não é propriamente o Prémio Nobel da Literatura. Correctíssimo. Mas não é por acaso que os melhores treinadores do mundo são Guardiola e Mourinho. Não é de certeza por serem giros (embora eu o agradeça), mas porque, além de saberem treinar uma equipa, têm uma personalidade que serve de exemplo de liderança.

Voltemos, então, a Jorge Jesus. Com uma carreira já longa no futebol português, passou muitos anos a tentar não descer equipas miseráveis. A táctica resumia-se a tentar fazer pontos fosse de que maneira fosse. Se fosse preciso defender com os 11 jogadores na grande área, defendia-se. Se fosse preciso atirarem-se 11 jogadores ao mesmo tempo para o chão, atiravam-se. Se fosse preciso fazer uma figura triste na conferência de imprensa, fazia-se. Mas era o estrela, e o setúbal, e o belenenses, e o leiria. Ninguém se importava muito.

Até que Jorge Jesus se viu no benfica, com plantéis recheados de estrelas e uma campanha mediática que o protege. A táctica, se repararmos, não mudou muito: continua a valer tudo. Vale sair constantemente da zona reservada à equipa técnica para pressionar os árbitros e os jogadores. Vale ir a correr pela linha lateral a pedir claramente ao guarda-redes para fingir uma lesão e perder tempo. Vale agredir jogadores e insultar árbitros. Vale ensinar aos avançados como se finge um bom penálti.

Só que o benfica tem jogadores excelentes. Por isso, Jorge Jesus pôde finalmente colocar em campo dois avançados e três médios ofensivos. Toda a gente sabe como joga o benfica há três anos: tudo para a frente, sem controlar os diferentes ritmos de jogo, à espera que os jogadores não estoirem e que os adversários não aproveitem aquela meia dúzia de oportunidades que têm sempre, seja o FCPorto ou o paços de ferreira. Corre bem muitas vezes, é verdade, mas quando corre mal também toda a gente pode dizer que se estava mesmo a ver.

Jorge Jesus é muito, muito limitado como treinador. Só dá para isto, seja em casa ou seja fora, seja o campeão europeu ou o último classificado da III Divisão, estejam disponíveis para jogar os jogadores que estiverem. Ai não há Javi? Então não preciso de reforçar o meio-campo, o Matic que se safe. Ai vem aí o Hulk? Então vou deixar na mesma o tosco do Emerson porque o outro, campeão do mundo, irrita-me. Ai o paços de ferreira teve três hipóteses de aumentar a vantagem? Então vou tirar um médio e meter um avançado para partir ainda mais isto.

E, para piorar, os jogadores detestam-no. E com toda a razão. Imaginem que o vosso chefe era o Jesus. Primeiro, era impossível saberem o que ele pretendia de vocês, porque para isso era preciso descodificar aquela língua. Depois, eram tratados abaixo de cão, seja em privado ou em público, por um “líder” que só sabe falar na primeira pessoa do singular na hora da vitória. E, na pior das hipóteses, imaginem que vocês eram o Javi Garcia e que tentavam há três anos fazer ver a uma parede que aquele buraco no meio-campo não faz sentido nenhum.

A meu ver, Jorge Jesus ainda é treinador do benfica por duas razões: porque foi campeão dos túneis (perdão, devo dizer “tunéles”) e porque os adeptos daquele clube aplaudem a equipa depois de levarem 5 e de nos verem ser campeões na sua casa. Este ano, arrisca-se a ser novamente campeão, porque os nossos jogadores não querem e porque os senhores de amarelo e preto querem muito. E, enquanto ele anda a mascar “chicla” e a pintar o cabelo para a festa, andamos nós a discutir se ele deve ser castigado pelo que disse após o benfica-FCPorto, jogo em que fomos extremamente beneficiados por um golo em fora-de-jogo dois minutos após aquela grande defesa do Cardozo na grande área.

Meus senhores, falamos de Jorge Jesus, o inimputável. Se vale mandar jogadores atirarem-se para o chão, se vale praticar um fair-play de treta e se vale agredir adversários, estão à espera de quê?

12 comentários:

  1. Se o homem não foi suspenso na Playstation por um lance igual, porque haveria de ser agora ?

    ResponderEliminar
  2. Algo me diz que ainda vais gostar muito do JJ, porque me parece que ainda há-de ser treinador do FCP. O homem é teimoso? É! O homem tem aquele espírito suicida e meio louco e pouco conservador? Tem! Podia prever certas situações? Podia! Mas deixo as perguntas, Quantos teve o SLB muito piores que ele (e melhor pagos!)? Quantos anos foi preciso para encontrar um treinador que não tenha medo de jogar na Luz com o Paços (ou Rio Ave, Beira-Mar, etc)?
    Acima de tudo, o Benfica é hoje respeitado como há muito não o era. E para mim, os melhores treinadores da Liga são Leonardo Jardim e Rui Vitória. Mas Jesus está muito acima de Vitor Pereira, e Villas-Boas e Mourinhos aparecem apenas esporadicamente.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Concordo que é dos melhores que o benfica teve nos últimos tempos, o que não lhe confere mais qualidade, apenas prova que passou por lá muita coisa má. Se está muito acima de VP, então enganou-me bem no ultimo jogo na luz.

      Eliminar
    2. Eu não trocava JJ por VP. Será que a maioria dos portistas não trocava?
      No ultimo jogo da Luz, o VP esteve melhor, é um facto. No jogo do Dragão, foi o oposto. Apesar de tudo, estaria muito menos confiante se o meu treinador fosse VP.
      Cumprimentos.

      Eliminar
    3. Nem eu acredito que trocasses. Eu não trocava também. E quem me dera a mim que o único problema do FCPorto fosse o treinador, como aparenta ser o único do benfica.

      Eliminar
    4. Klassic há muitas razões pk nós nao queremos o Jesus no Porto. A primeira é a sua maneira de ser egocentrica e ridicula. Mas há outro motivo mt importante. Se ele fosse treinador do Porto o k achas k tinha acontecido qd ele entrou em campo por duas vezes para agredir jogadores adversários? O k achas k aconteceria qd ele em pleno campo mandasse o guarda-redes simular uma lesão. O k achas k aconteceria qd ele insultasse os arbitros? Estaria sempre castigado e não teriamos treinador. Por todas as razões, não obrigada.

      Eliminar
  3. e esta "xistrada" hein?
    não há post sobre isso? não?
    claro que não falar do MAIOR DE PORTUGAL e muitoooooooooooooooooo melhor!
    também vais apagar este comentario não é?

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Há por aqui uns anónimos malucos que acham que isto é um daqueles fóruns para desabafarem as suas frustrações e insultarem os adversários. Não é, portanto podem mudar de página por favor. Ah, e curiosamente, os insultos são todos para mim e não para o M., o que diz alguma coisa dos adeptos do maior de Portugal.

      Eliminar
  4. Julgo que foi precisamente por esta sua característica - a inimputabilidade - que foi cobiçado pelo porto (facto já comprovado) quando se sagrou campeão pelo Benfica. Assentava que nem uma luva, não era?

    ResponderEliminar
  5. Cara C.

    Obrigado por mais esta pérola.
    É um gosto ver defender o meu porto de uma forma tão bonita.
    Por favor nem ligues às bestas que insistem em vir insultar. Não sabem mais e estão completamente fora de jogo num blogue com este nível.

    Quanto ao JJ, não vejo a coisa bem assim.

    O slb campeão do JJ foi o que praticou melhor futebol por aquelas bandas nos últimos 20 a 25 anos. E de longe.
    Gostemos ou não isso tem muito mérito.
    Como é óbvio diz muito do que é o JJ o facto de, nesse ano, só terem conseguido ser campeões na última jornada, em disputa com o Braga!
    O homem é teimoso e tem lacunas, mas consegue puxar pelos jogadores como poucos (bem precisávamos!)e põe uma equipa a jogar um futebol fantástico.
    Se preferia o JJ ao VP? De caras. Mesmo que o resultado final fosse semelhante, o caminho para lá chegar é bem diferente. E eu prefiro claramente o do JJ.
    Por isso é que não gostei de ter treinadores como o Tomislav Ivic, Carlos Alberto Silva ou mesmo o Jesualdo a treinar o nosso porto.
    Qualquer treinador do porto que vá à luz não tendo a vitória como objectivo, para mim não serve.
    Lembras-te do último jogo Jesualdo na luz? Vergonhoso e inaceitável.

    Dito isto, devo dizer que estou com fé que o JJ borre a pintura neste final de época e possamos ser campeões. Seria dos títulos com futebol mais merdoso que conseguimos. Se não, que seja o Braga, claro.

    Saudações portistas,
    PELIFE

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Para ser justo tenho que dizer que o VP, apesar de andar a tentar arrastar uma equipa sem qualquer chama há já uns meses largos, teve um momento brilhante na luz.
      Gostei muito do porto nesse jogo e a muitos níveis.
      Não tenho dúvida que o papel do VP foi determinante nesse jogo.
      Apesar disto, tenho ainda sérias reservas quanto ao VP ter capacidade para ser treinador do porto. Não técnicas, mas de gestão de recursos humanos e capacidade de expressão.
      Espero estar errado. Se conseguir o título, o VP tem mérito pois não teve (quase nunca) os jogadores do lado dele.

      PELIFE

      Eliminar