terça-feira, 17 de abril de 2012

Obrigada, presidente

Tenho 25 anos. O Porto sem Pinto da Costa, para mim, não existe. Não vivi os tempos vis e cruéis de domínio dos clubes da capital, quando passar a ponte era uma ameaça temível e ganhar um campeonato em cada cinco era uma grande vitória. Desconheço os cinco violinos, nunca vi Eusébio jogar.

A minha avó fala de Pedroto com ternura, o meu avô ainda hoje diz que Cubillas foi o melhor jogador de sempre do Porto. A minha mãe festejou o primeiro campeonato com 19 anos, o meu pai esperou esse tempo todo para ver nas Antas o golo que mudou o futebol português.


FCPorto 1977/78 - golo de Ademir contra Benfica por blogdoblueboy

Admiro o portismo deles, mas não os invejo. Eu tive a sorte de crescer com os Aliados em festa, as buzinas a apitar toda a noite e a cidade sempre azul. Tinha seis meses e já andava a gritar golo do Madjer em Viena. Com 12 anos aprendi a palavra penta. Ainda menor, fui a Sevilha e Gelsenkirchen. Já mulher adulta e com responsabilidades, não podia perder Dublin.

Ser do FCPorto, para mim, não é só uma alegria e um enorme orgulho. É algo de óbvio, é o mais natural, é o que qualquer miúdo escolhe. Já não me surpreende ver portistas do Minho ao Algarve. Não estranho nada um adepto de azul com sotaque lisboeta. Quando viajo para qualquer parte do mundo, digo sempre de peito cheio que sou do Porto campeão europeu com Mourinho (e cuspo para o chão mentalmente quando me respondem que então sou do país do Ronaldo).

Para mim e para a FIFA, mas não para o Record e A Bola, o FCPorto é o melhor clube português, tem o melhor palmarés e um domínio como nunca se viu igual. O Porto mete medo aos outros, humilha-os, faz-lhes mal. O portista é o rei do local de trabalho, do café, da bancada. A conversa do maior de Portugal e da maior rivalidade se sentir na Segunda Circular já não faz sentido para ninguém com as suas faculdades mentais intactas (ou seja, excluindo o Record e A Bola). Cá em casa, eu sou a que ganha, o M. é o que sofre. E os nossos filhos terão todo o direito de escolher qual deles preferem.

É-me mesmo muito fácil amar este clube. Não só porque representa a minha cidade, a minha região, a minha gente, mas sobretudo porque me faz constantemente feliz. Com 25 anos, ser adepta do FCPorto é isso: é ser feliz. E devo-o a uma pessoa, que hoje completa 30 felizes anos ao leme desta nossa paixão.


Jorge Nuno Pinto da Costa.

De todos os portistas, os que conheceram Cubillas e Pedroto, os que estiveram 19 anos sem ganhar e que viram o golo do Ademir nas Antas, e os que, como eu, passaram a vida a comemorar títulos,

Muito, muito obrigada.

25 comentários:

  1. Daqui também vai um grande Obrigada e a respectiva vénia para o SENHOR Jorge Nuno Pinto da Costa!!

    ResponderEliminar
  2. "O Porto mete medo aos outros, humilha-os, faz-lhes mal".

    Co Adriaanse
    Luís Fabiano
    Derlei
    Paulo Assunção
    Adriano
    Rodriguez
    Costinha
    Raul Meireles
    Matt Fish
    Rui Moreira
    Jorge Sousa

    Estes não são vossos?!

    Arquiduque das Águias Livres

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. felizmente que vivemos numa República, onde os "arquiduques" são livres de mandar alarvidades como essa...

      tanto esquecimento em causa própria...

      Eliminar
    2. Muitos desses foram nossos. E pode encontrar nesse lote de figuras , campeões do Mundo, campeões da Europa , campeões de Portugal, entre vários outros títulos.
      Quanto a Jorge Sousa , talvez o Porto já tenha sido beneficiado por esse senhor como outros clubes o foram, mas também já foi prejudicado e bem.

      De facto está aí uma lista muito preenchida em títulos , o que alguns desses conseguiram , andam outros a sonhar toda a vida sem conseguir.

      Eliminar
    3. Este "penta" está em todas...És tu, emplastro?

      Arquiduque das Águias Livres

      Eliminar
  3. E o resto? Não conta? É que esta é a parte fácil, a parte boa, a das vitórias, a parte que não me custa perceber e, por vezes, invejar. Mas e o resto? A nódoa, a sombra, a suspeita, o crime? Não contam? Muito têm os portistas que crescer... Quem não consegue olhar para dentro, não olha para lado nenhum.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Só para cumprimentar o anauel que me fez recordar o Artur Albarran.Como ele que relatava um cenário de guerra a 600 kms de distância, convicto que toda a gente acreditava (porque estava equipado a rigor),também o anauel nos aconselha a crescer e a ver ... e eu tenho a certeza que acreditava no Artur Albarran

      Eliminar
    2. de facto, não deve ter sido por acaso nem obra do dito (o Acaso), que a «inveja» é o último vocábulo em "Os Lusíadas"...

      Eliminar
  4. Minha amiga, só é humilhado quem se deixa humilhar. Podes venerar o teu grande presidente e os teus títulos mas jamais saberás o que é o orgulho de ser benfiquista. Nunca te esqueças de visitar o youtube para visualizar os feitos do teu clube mas também as vigarices do teu rico presidente. Por fim, quero lembrar que, realmente, as vitórias ocultam muita coisa (discurso xenófobo (insultando as pessoas do sul), anti-desportivismo (utilizando a fina ironia para tentar humilhar os outros clubes) , manipulação de resultados (se houver dúvidas, consultar youtube), aldrabice com a data de fundação do próprio clube, enfim... realmente as vitórias ocultam muita coisa

    ResponderEliminar
  5. Grande texto, eu felizmente com 20e poucos anos já vi o que muita gente com o dobro ou triplo da idade jamais viu/verá.

    Força Porto, Parabéns Presidente.

    ResponderEliminar
  6. Não querendo tirar mérito aos 30 anos do Presidente, há que perceber que muito deste sucesso foi alicerçado em anos de corrupção que a justiça apagou mas que história se encarrega de manter viva.

    ResponderEliminar
  7. Só pecas por esqueceres de agradecer ao Reinaldo Teles, esse nobre mas discreto membro da direcção do FC Porto.
    Também dou os parabéns ao PdC e ao RT por conseguirem manter-se acima da lei e vigarizar a arbitragem em Portugal com fruta de qualidade!!

    ResponderEliminar
  8. Cada vez gosto mais de ver, neste blog, adeptos do glorioso-maior-do-mundo-e-arredores a comentarem os meus textos, enquanto os adeptos do clube com mais títulos de Portugal ignoram sucessivamente o que o M. escreve. Sinais dos tempos, pois claro.

    ResponderEliminar
  9. Contra tudo e contra todos.

    ResponderEliminar
  10. Os adeptos do (pode ser esse o ferreira) ainda não deviam ser nascidos quando a fruta estava toda ao atravessar a ponte.Como são museu e vivem do passado dá-lhes para estas manias da perseguição,e ainda bem porque demonstram o que são.É muito chato já não terem campeonatos ganhos por decreto,mas gostavam que fosse assim.
    Até lá um grande obrigado ao melhor Presidente vivo da história do futebol jogado nas quatro linhas:Jorge Nuno Pinto da Costa.
    Felizmente não está à venda!

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Foi por decreto que o teu clube subiu à primeira divisão, graças a um oportuno alargamento; Foi por manifesta falta de vergonha que, mais recentemente, não desceu de divisão.
      Futebol jogado nas quatro linhas? Pois...

      Eliminar
    2. essa do "decreto" e da "vergonha" também se aplicam a um clube (dito) «glorioso» que eu cá sei...

      Eliminar
  11. Tenho 33 anos e acho fantástico estes amiguinhos do 2a Circular Clube não reconhecem minimamente que ganhar competições internacionais não é feito com aldrabice, que o Porto do Mourinho cilindrou tudo e todos, que o do Villas Boas deixou os outros à distancia de kilómetros, que o Porto criou jogadores que eles próprios desprezaram, enfim... um rol de parvoice infindável.

    Sempre se fala de fruta. Sempre. Não se fala de túneis. A Santíssima ingenuidade acha que o seu próprio clube foi sempre intocado, imaculado... não era o clube do fétido regime, não era favorecido em tempo de antena e dinheiro..não era ( e ainda É ) um clube tão manipulador que basta espirrar para constipar o mundo do futebol.

    Senhores falamos de conquistas. Falem vocês para a mão. E deixem-se de paranóias. Vocês terão os vossos telhados, que um dia também quebrarão.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Clube do regime? Sério? E ainda acreditas no Pai Natal, não é?
      Vai investigar a história do tal "Regime" e do teu clube e depois vem cá falar de "Clube do Regime"!
      Rui

      Eliminar
  12. Sou sportinguista de 31 anos (poquê? porque as coisas são como são...)

    Cresci debaixo da lavagem cerebral dos lampiões, da corrupção, do Porto como o centro do mal, do Pinto da Costa como o próprio demo e do adepto da corneta como o anunciador do apocalipse (por falar nisso, o que é feito dele?).

    De há uns anos para cá, coincidiu com a altura em que comecei a conhecer mais portuenses e mais portistas fui forçado a mudar a minha opinião...

    Acredito tanto na corrupção do FCP como na de qualquer outro clube, incluindo agora, pelos vistos, o meu SCP.

    O que acredito sim é que este Grande Homem, uniu uma equipa. E uniu uma cidade à volta dessa equipa, foi buscar, nos tempos certos a malta certa, que tanto odiei mas agora olho só com respeito e saudades, a malta das Caxinas. André, João Pinto, Paulinho Santos, são caras que muito nos incomodaram cá por baixo por personificarem uma raça, uma fibra, e uma maneira de ser que, infelizmente, por cá não existe, e com a qual nunca conseguimos lidar... Foi com estas bases que se criou o que é actualmente o maior clube de Portugal.

    Cada vez mais me convenço que foi esse sentimento de união que deu os títulos. Claro que também existe o incompreensível facto de os jogadores chegarem ao Porto e começarem a jogar bem à bola, Capucho e Nuno Valente, nunca vos perdoarei por terem sido tão maus de verde e tão bons de azul.

    Enfim, o vosso Presidente fez o impossível e tem todo o mérito por isso, esperemos que por cá fique muitos anos.

    Embora não consiga torcer por vocês, não escondo a ponta de orgulho que sinto cada vez que levam mais um caneco internacional para a Mui Nobre Sempre Leal e Invicta.

    ResponderEliminar
  13. Teve a sorte de crescer com os Aliados em festa, as buzinas a apitar toda a noite e a cidade sempre azul. Tinha seis meses e já andava a gritar golo do Madjer em Viena. Com 12 anos aprendei a palavra penta. Ainda menor, fui a Sevilha e Gelsenkirchen. Já mulher adulta e com responsabilidades, não podia perder Dublin, estou em quer que quando tiver 90 anos ainda há-de ir para os Aliados gritar "se poder" VIVA O FCP', Obrigado por tudo quanto escreve.

    ResponderEliminar
  14. C., tenho 31 anos, sou benfiquista e (acredite ou não), o primeiro jogo que fui ver às Antas do Benfica foi a Supertaça de 1994. Devo dizer que, apesar de muito bem tratado (sem ironia) por todos os que estvam à minha volta (portistas), nunca mais tive vontade de voltar às Antas. Vale o que vale! Mas evidentemente que só quem quer tapar o sol com a peneira acha que as sucessivas vitórias do seu Porto se devem todas ao mesmo... Cumprimentos.

    ResponderEliminar
  15. Como é óbvio, aqueles que fazem da mediocridade sua maior qualidade, os que vivem atolados no ódio para que os empurram nunca serão capazes de ver um palmo de mérito diante dos seus narizes,incapazes de cheirar a incompetência de quem os lidera rumo ao descalabro.

    Não vou referir os títulos europeus, mt menos as centenas de títulos em todas as modalidades. Aos que destilam ódio e se alimentam da sua própria ignorância, peço que continuem assim já que dessa forma facilitam-nos a tarefa de vencer tudo e todos nos campos de futebol,hóquei,andebol etc etc

    ResponderEliminar