segunda-feira, 21 de maio de 2012

O Polga tem mais encanto na hora da despedida

Quando ontem vi aquele jogador de um metro e meio a entrar na área do sportem à vontade e a metê-la lá dentro de cabeça, só consegui pensar: vou ter mesmo saudades do Polga. Aquele jeito lento de se deslocar na área, aquele corte mal feito que deixa um adversário isolado, aquela indecisão entre ir para a direita ou para a esquerda, aquela escolha quase sempre errada, aquele PUFF!, mas onde é que está o Polga, desapareceu?!?! Não, não, está ali a marcar o infinito. Porra, foram nove anos mesmo bons.

O Polga é exactamente o que um adversário meu não devia ser: é simpático, não cria nenhum tipo de animosidade, não me obriga a insultá-lo e tem até ar de quem me emprestaria umas cebolas se fosse meu vizinho. Talvez por isso, não me consigo lembrar de um só momento em que lhe tenha desejado mal. Nunca me preocupei ao ouvir o seu nome na constituição das equipas, aquele “oh não, o Izmailov vai jogar e ele contra nós é tramado”. O Polga não. Nunca pedi para que se lesionasse, aquele “se deus existisse, o João Pereira ficava sem uma perna”. Não, o Polga não.

É engraçado como nem consigo enumerar os lances em que ele me desiludiu. Às tantas, nunca o fez. O Polga esteve sempre à altura dos acontecimentos. De um campeão do mundo não se espera outra coisa, aliás. Alguns poderão dizer: estás para aí a gozar mas o rapaz conseguiu sobreviver a nove anos de sportem. É verdade, não é fácil para ninguém. Mas eu sou de um clube que uma vez perdeu uma Taça com dois golos do Rodrigo Tiuí, portanto não era preciso assim tanto para entrar na minha lista de “espero-que-morras-de-uma-maneira-muito-dolorosa”.

O Polga, resumidamente, é o sportem. Nove anos depois, nem um campeonato. Há bebés que ainda mal sabem dizer “PORTO” e que já têm mais títulos do que o Polga. Mas não digo isto só pelo vasto palmarés. O Polga é o sportem, porque esteve sempre nos sítios certos, mas com a equipa errada. O Polga estava lá quando o Jorginho nos deu um título em alvalade. O Polga viu o Luisão a saltar mais alto do que o Ricardo. O Polga teve uma visão privilegiada (do banco) daquele terceiro golo do CSKA na final da UEFA. E adivinhem qual foi o central do sportem que, não contente com os 11 golos marcados pelo bayern de munique, enfiou um na própria baliza para o número ser mais redondo? Epa, o Polga é tão o sportem.

Em defesa do Polga - e eu vou sempre defendê-lo! -, estava aqui a ver a lista de centrais do sportem nos últimos nove anos e tenho de admitir que já vi sem-abrigos com melhores condições de vida do que ele. Beto (antes de ir para o real madrid), Enakarhire, Tonel, Caneira, Gladstone, Torsiglieri… Tenho de parar, é demais, não consigo. Polga: adeus e volta sempre.

Um pequeno e último parágrafo para dar os parabéns ao sportem, por ter conseguido uma época pior do que a do ano passado. Não era uma meta nada fácil de ultrapassar. Os milhões foram muito bem gastos, o Sá Pinto é um grande treinador quando um 0-0 chega e não esqueçamos a direcção, que anda por aí a distribuir dinheiro quando toda a gente sabe como a vida está difícil para os árbitros assistentes.

P.S. Faz hoje nove anos que vencemos a UEFA em Sevilha. Não sei se já vos disse como é mesmo bom ser do FCPorto.

3 comentários:

  1. Cara Catarina,

    Grande texto...o que eu ri.

    Só mesmo estes Viscondes de pacotilha para me fazerem rir. Sugiro que façam parte do grande anedotário nacional.

    Abraço de um Portista

    ResponderEliminar
  2. Texto injusto, foram muitas épocas de "leão ao peito", por certo terá, sei lá, marcado um golo decisivo numa qualquer partida do campeonato...
    "Polga deverá então sair do Sporting sem ter marcado qualquer golo no campeonato, após mais de 200 jogos realizados".In "Relvado".

    Bom...mas marcou um ou dois golos pelo sporting, sim, estou certo que marcou...ao Lille! É isso! E foi um golo importante,porque valeu o apuramento na liga europa. A prova, aqui:
    "Golo irregular de Polga apura Sporting na Liga Europa". In "Correio da Manhã".
    O quê?! Irregular?!
    Polga, vai-te %$%##&%, pá!

    ResponderEliminar