segunda-feira, 11 de junho de 2012

O nosso sábado

Sábado, no Porto, pela C.:

Foi um sábado como outro qualquer. Acordámos tarde, ligámos a televisão e passámos o dia a ver desporto. Primeiro o futsal, porque ver lampiões e lagartos raivosos é sempre giro, ainda que sem metade da piada dos tempos em que um jogador portista beijava o dragão que tinha tatuado no braço. Depois o andebol, porque a selecção luta pelo acesso ao Mundial e há lá uns rapazes simpáticos que vestem de azul e branco. E, claro, o grande jogo do dia, aquele pelo qual todos esperávamos ansiosamente.

Vimos o benfica-Porto em hóquei com a família praticamente toda junta, porque as grandes ocasiões assim o exigem. A lição estava bem estudada. Conhecíamos os jogadores, discutimos os clubes pelos quais já jogaram, sublinhámos as maiores ameaças do adversário. Tentámos ainda lembrar-nos da última vez em que o Porto não foi campeão nesta modalidade. Não conseguimos. Ficámos também a saber que os adeptos portistas foram proibidos de se deslocarem ao pavilhão da luz. Não consigo perceber como é que, num país democrático, as forças policiais têm poderes para privar pessoas que tinham bilhetes na mão de irem ver um jogo de hóquei e como é que achamos que zelar pela segurança dos adeptos passa por proibi-los de aparecer. Se a moda pega...

Enfim. Começámos mal, a perder, sem grande reacção. Conforme os nervos aumentavam, desapareciam as garrafas de cerveja do frigorífico. Já estávamos encostados ao sofá, sem grande vontade, quando os golos chegaram. Emoção, rivalidade, vontade, um jogador adversário a gritar para as bancadas que nos iam "matar, caralho", estava lá tudo. O jogo adivinhava-se cada vez mais renhido quando chegou a hora do Portugal-Alemanha. Ora, nós somos malucos, mas ainda somos capazes de perceber a importância de um campeonato da Europa de futebol. A televisão grande ficou, então, sintonizada na selecção, enquanto a pequena televisão da cozinha transmitia o hóquei naquele canal nefasto.

Não foi, portanto, nada surpreendente que, enquanto o jogo de hóquei não terminou, a cozinha tivesse ficado mais lotada do que a sala. Era vê-los a amontoarem-se, a fecharem os olhos porque com aquele tamanho de ecrã já não se vê lá muito bem e a gritarem dois golos de seguida, como se a selecção estivesse a ganhar a final do Euro com uma exibição do caraças. Ainda hoje tento imaginar o que terão pensado os vizinhos, pessoas normais que certamente viam o Portugal-Alemanha. Adoro sonhar que nos ouviram e que, atentos, ansiosos pelo golo, pensaram que a sua televisão estaria atrasada. Mas o golo não chegava, porra. O que se passará então? E pumba, mais outro, só para os deixar KO.

Claro que, como é habitual em todas as modalidades, a equipa de arbitragem decidiu dar um ar da sua graça e o Porto acabou por perder a vantagem. Imagino também que na minha casa, em Lisboa, onde só há uma televisão, esses golos tenham sido festejados com mais vontade do que os golos do Pauleta, do Nuno Gomes, do Eusébio e do Fernando Gomes todos juntos (fui obrigada a recorrer à história porque esta selecção não marca golos). É por isso que sempre que me perguntam como é que eu consigo aturar o M. (e é uma pergunta que me fazem muitas vezes, estranho) eu respondo: é que nós somos iguais, só muda a cor.

A noite continuou com a seca do Portugal-Alemanha, comigo a gritar para o Moutinho não dar muito nas vistas e uma oportunidade perdida de vendermos o Varela. Acho engraçado que o país esteja contente com uma coisa nunca antes vista, o chamado "empate moral", porque se eu fosse adepta desta selecção estaria certamente muito zangada por a minha equipa não querer (nem saber, admitamos) ganhar aquele jogo. Felizmente, não sou, por isso acabei o sábado felicíssima com mais um golo do Hulk que pode aumentar a conta em mais uns milhões. Fazendo as contas, só no sábado marquei 6 golos (cinco do hóquei mais este). Quase que aposto que será mais do que esta selecção durante todo o Euro.

Sábado, em Lisboa, pelo M.:

O meu sábado começou sexta à noite, com copos no Bairro e uma animada discussão Benfiquista, onde eu e o L. defendemos o Cardozo como se fosse um irmão, contra os infames ataques do L. Já antes, à espera deles, eu e o R. discutimos a imperiosa necessidade de impingir o Gaitan a alguém e de que o Witsel fique. 

Estávamos um bocado desapontados com as declarações do Manuel José porque puseram fim ao espírito "visita de estudo" que a seleção tem desde os tempos do Queiróz e que, na nossa humilde opinião, podiam evitar uma goleada (estávamos certos). Falámos mal sem parar do Cristiano Ronaldo e continuámos nos copos.

Um copo puxa o outro e falámos mal do Porto, soube umas coisas do Jesus (tanto o L. como o L. são da Amadora e na Amadora sabe-se tudo do Jesus, inclusive expressões literais ditas pelo mesmo, o que torna as conversas muito mais reais. Às 4 da manhã, podia jurar que estava a ouvir Jesus himself a discutir com o Rui Costa) e continuámos a esquecer-nos que havia essa coisa da seleção.

Acordei, naturalmente, tarde. Já não tenho a prática universitária e basta uma noite fora de horas que parece que fui atropelado. Felizmente, havia o futsal. Festejei de janela aberta cada golo dos nossos rapazes para o vizinho lagarto se lembrar da minha voz - que ele nunca vai esquecer, dado que fiz abanar o prédio com o terceiro golo do Llorente em Bilbao - e fui à baixa resolver uns assuntos, ainda satisfeito com a mão cheia.

Depois veio o R. e ficámos a sofrer com o hóquei. Havia mesmo gente que estava a comentar o Holanda-Dinamarca no twitter, o que não deixava de ser fascinante, já que o centro do Mundo era, obviamente, o pavilhão da Luz. O Benfica jogou melhor e devia ter ganho. O guarda-redes do Porto meteu a mão nos tomates e fez piretes,  mas vai continuar sem receber ordenado, que é muito bem feito. Desmoralizámos no 3-5, chegou o C. (lagarto) que fez pressing para mudar para a seleção e nós, que estávamos a perder e já não queríamos saber de hóquei para nada - toda a gente sabe que os árbitros ainda favorecem mais o Porto no hóquei do que no futebol (e isso é um feito) e começámos a ver aquela seca. Mas eu continuei no computador a controlar o hóquei (queria lá saber da seleção, não queria era ser mau anfitrião), e foi assim que eu e o Rafa festejámos o 4-5 e o 5-5. Com isto lá mudámos para o hóquei e ficámos a curtir o caos. O Reinaldo foi para a rua e eu e o Rafa gritámos "TOMA, FILHO DA PUTA!" e, a não ser que o Lahm tenha levado amarelo ao mesmo tempo, isso pode ter confundido os vizinhos. Acabou 5-5, podemos ser campeões em Almeirim (sim, tornei-me um expert instantâneo em hóquei) e isso é que interessa.

Depois mudámos para a seleção e foi horrível, até porque a minha televisão está super atrasada e ouvimos os vizinhos a gritar "Foda-se!" ainda o Nélson Oliveira não tinha conquistado brilhantemente a bola para o Varela falhar. Tecemos milhares de considerações técnicas e desapaixonadas sobre a necessidade de um número 10 e de um ponta-de-lança e batemos sem perdão no Cristiano Ronaldo. A seguir vimos o Argentina-Brasil, ainda a tempo de festejarmos o terceiro golo do Messi. Gozámos com as pessoas que dizem que o rapaz só é bom no Barça e que é muito protegido (sim, o C. é verde, mas detesta o Ronaldo).

Foi um sábado óptimo, com 5 aos lagartos e um passo fundamental para o título de hóquei. E, só para não dizerem que eu sou faccioso e mais não sei o quê, também fiquei contente com a seleção. Parece-me que, no próximo jogo, o Nélson Oliveira vai ser titular! 

18 comentários:

  1. Cara C. se calhar deve-se informar antes de escrever barbaridades.
    O Benfica não vendeu nenhum bilhete ao FCP (como o FCP fez em basquete ao SLB) para o jogo de Hoquei. Assim, não haveria nenhum local especifico no Pavilhão para albergar os adeptos do FCP (os quais conseguiram os bilhetes "misteriosamente"...) nem existiam meios policiais equacionados para um jogo desse tipo (adeptos de ambos os clubes).
    Como tal, e dado os acontecimentos do ultimo jogo de basket, a PSP, e bem, impediu a entrada desses adeptos, que friso mais uma vez, sabiam que não poderiam entrar no pavilhão com os bilhetes "misteriosos".

    P.S. Como o M. escreveu o GR do FCP "brilhou" a grande altura. Mais uma vez a comunicação social fingiu que não viu nada, o FCP não pediu desculpas como exigiu com o C.Lisboa e os adeptos do Benfica não agrediram ninguém, nem tentaram invadir o campo. Enfim, diferenças de comportamentos que fazem com que eu só possa dar graças a Deus por não ser portista ...

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Acha, portanto, normal que neste país se impeçam adeptos de apoiar a sua equipa porque a polícia não tem condições de garantir a sua segurança? Não tem condições como? São poucos? Não são bem pagos pelos clubes? Ou é o pavilhão que está mal feito? Isso faz sentido, seja em que lado for? Não percebo estas atitudes de "no meu pavilhão não quero adeptos visitantes", de um lado ou do outro. O desporto, como nós tão bem sabemos, faz-se de adeptos, e escolher apenas os da casa cheira-me a pouca democracia.
      E esqueceu-se de mencionar o gesto que se tornou tão habitual na luz, feito desta vez por Sérgio Silva, que encostou um dedo ao pescoço e prometeu matar-nos, e cito, "caralho". E a diferença, como bem sabe, foi sobretudo no resultado, porque naquele pavilhão só os jogadores do Porto tinham motivos para estar chateados com ele.

      Eliminar
  2. Parece que não me percebeu... Os bilhetes foram vendidos apenas a socios do SLB, pelo que as suas perguntas nem se colocam. Assim temos que:
    1) Os cerca de 50 adeptos do FCP com bilhete existiam??? Eram reais??? ou eram "adeptos" sem bilhetes e a querer confussão???
    2) Se tinham bilhetes, como é que os arranjaram, sabendo que o jogo era exclusivo aos socios benfiquistas???

    Quanto ao seu "cheira-me a pouca democracia", tente começar a influenciar o seu clube (não se esqueça, que vocês batem nos vossos treinadores e nos vossos jogadores quando estes tentam exercer a sua "liberdade" e que até nos ultimos jogos de Basket fez isso) de modo a tornarem-se um exemplo e para que os outros aprendam...

    Em relação ao Sérgio Silva, Lisboa e etc., mais uma vez parece que tenta não perceber, e não ligar ao cerne da questão. Não interessa se o primeiro gesto inadequado foi de uma parte ou outra, o que interessa e faz toda a diferença, e que de um lado houve violência dos adeptos e justificações totalmente absurdas dos seus dirigentes e do outro lado não se passou nada!

    P.S. Como percebo pelo que escreve que é uma pessoa inteligente, espero que tenha lido com atenção o meu comentário e que o queira perceber, porque acho que o problema é que vocês (adeptos ferrenhos do FCP) nunca querem ver o obvio (exemplo? o apito dourado) nem o perceber. Será medo de encarar a verdade?

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. JC é ridícula essa atitude sobre os adeptos ferrenhos do FCP, continuem assim, com desculpas de frutas, apito dourado e outros, não se esqueça do caso do túnel da luz(hulk e sapunaru), sim... porque coincidente ou nao, foi o ultimo ano a ganharem um titulo que interessa, um campeonato...porque será? será medo de encarar a verdade?

      Não atire pedras, porque tem telhados de vidro...
      Cumprimentos à C., continua a escrever assim que estes moços espumam-se todos...

      Tiago Cunha (Portista Ferrenho)

      Eliminar
    2. Caro Tiago,
      o caso do túnel da Luz está em tribunal e não vejo lá ninguém do SLB... e da equipe desse ano estão dois a jogar no Real Madrid (campeão espanhol) e dois a jogar no Chelsea (campeão Europeu)...porque será? será medo de encarar a verdade?

      Já agora porque é que vocês foram condenados por corrupção e não recorreram? porque será? será medo de encarar a verdade?

      e para terminar, quanto ao seu "espumam-se", veja como os adeptos ferrenhos do FCP, nunca conseguem ter nenhum comentário sem destilar odio e com educação

      Eliminar
  3. então mas um grupo de cidadãos com bilhete para assistir a um evento desportivo são proibidos de entrar num pavilhão? Pior do que isso, impedidos de entrar em Lisboa?!

    O Outro diz ''É mata-los caralho", e aí não há apelos à violência ? o Outro festeja com o mão apontar para o seu ânus..bahhh

    Entretanto no futsal...http://www.youtube.com/watch?feature=player_embedded&v=F0RJZdvbzUI..(esta é a tal verdade que eles tanto gostam e apregoam)

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Se o bilhetem que possuem diz "Sócio" e tem um nome que não corresponde ao do seu portador, são impedidos sim. É que o cartão de sócio é pessoal e intransmissível.

      Eliminar
  4. Incrédulo, pode ser dificil de perceber para si mas:

    1) não existia nenhum grupo de cidadãos com bilhete para assistir a um evento (os bilhetes só foram vendidos a socios do SLB) e mesmo que tivessem bilhete não podiam entrar, pois como não eram sócios do Benfica, o bilhete seria considerado inválido!
    2) Em relação ao "impedidos de entrar em Lisboa" é pedir esclarecimentos à PSP de Lisboa, que ao contrário de outras que permitem que adeptos consigam entrar no estádio do Dragon com milhares de bolas de golf, que "esquecem-se" de vigiar UM unico viaduto de modo a permitir pedradas a carros, que vai para o lado contrário para dizer que um autocarro do SLB com vidros partidos não foi atingido por pedras e que avisa algumas pessoas para fugirem para Espanha de modo a não serem presas, funciona e sabe trabalhar.

    3) Mas que é que falou em apelos à violência? eu estou a falar é mesmo em violência! e já agora o adepto de um clube que:
    - impede com violência outro clube de festejar titulos na cidade do Porto;
    - que em todos os jogos cantam SLB, FDP, SLB;
    - que no jogo do Proença teve um treinador a festejar de maneira pouco civilizada (e bem pior que o Lisboa) e virado para os adeptos do SLB;
    nunca se pode armar em vitima...

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. É engraçado ler um adepto do clube do regime, clube dos túneis ou clube do estorilgate vir falar em violência depois de termos assistido ao very light no jamor, ao incendiar dum autocarro do FCP com gente lá dentro, de terem enviado para o hospital em coma um desportista do FCP, de terem invadido um relvado para agredir um árbitro assistente, de um treinador vosso ter agredido um alteta adversário há bem pouco tempo e tantos outros momentos que agora n me ocorrem (n quero com isto desculpar violência com violência, claro está).

      Eliminar
    2. caro JC, tinham mesmo bilhete porque foram comprar a casas do Benfica(independentemente de serem sócios ou não, arranjaram bilhetes) isso garanto-lhe.

      2ºnão estou armar-me em vitima e sei que a minha casa tem telhados de vidro mas, não tenho problemas nenhuns em admitir, vocês é que parece que têm e falam como se o vosso clube fosse o baluarte do exemplo quando não é, nem nunca foi.

      E agora, vou confidenciar uma coisa, no Porto e arredores existem milhares de benfiquistas e convivem diariamente com portistas sem quaisquer problemas, tenho sérias dúvidas se em Lisboa existi-se a quantidade de portistas com que existem benfiquistas no norte se não haveria muito mais conflitos.Se todos os anos houvesse enchentes de portistas a festejar no Marquês se não haveria problemas, mas isso, não se pode provar(pelo menos por agora). Ah, e estou a falar de enchentes, não me venha com exemplos de portistas a festejar junto a casa do FC Porto em Lisboa.

      Eliminar
    3. Lembrei-me agora, e quando o FC Porto foi a Oeiras jogar a final da Taça de Portugal contra o Desportivo de Chaves e à saída de Lisboa dezenas de carros de adeptos do FC Porto foram apedrejados? Certamente lembra-se porque não foi assim à tanto tempo. Será que foram adeptos do Sporting ? do Chaves ? ou as pedras caíram do céu? Dada a minha ingenuidade, vou acreditar que foi obra divina do Espírito Santo.

      Eliminar
    4. Incredulo,
      volto a dizer-lhe para entrar no pavilhão era necessário ser sócio, eles eram? Não, pois, não! então não podiam entrar. É simples!

      A sua casa têm telhados de vidro? Pois, é mesmo isso que eu estou a dizer desde a primeira hora, todos temos telhados de vidro, mas invadir campos com violência e dizer que a culpa foi exclusiva dos outros só a Vossa direcção/adeptos é que dizem isso!

      Quanto ao anonimo, tenha juizo. A sua falta de cultura é vergonhosa. Apelidar o Benfica de clube de regime só demostra que da nossa história não conhece nada. Sabia que durante a época do Salazar ocorreram dois alargamentos de campeonato só para permitir que o FCP pode-se participar no campeonato? Informe-se e depois veja quem foi o clube mais "ajudado" pelo regime!
      Em relação à violência posso começar por :

      1983-08-28, FCP-Sporting: Autocarro do Sporting apedrejado.

      1984-01-29, FCP-Belenenses, Incidentes com jornalistas.

      1984-02-05, Salgueiros-FCP: Incidentes provocam 8 feridos.

      1984-04-22, FCP-Varzim: Jornalistas insultados e ameaçados.

      1984-09-02, Boavista-FCP: Pedradas provocam dezenas de feridos.

      1984-11-25, FCP-Sporting: Invasão do camarote leonino.

      1987-05-10, FCP-Sporting para a Taça: Sporting ganhou 1-0, golo de Mário.16 feridos em confrontos de adeptos com a polícia.
Um adepto do Sporting morreu.
      Posso continuar mas acho que não vale a pena ...

      Eliminar
    5. Não querendo ir mais além neste jogo do "tu cá tu lá" que nunca mais iria-mos sair daqui,e devo desde já que se refere tantos casos de violência não se lembre da única morte que houve dentro de um estádio de futebol. Deixo só este vídeo (comece a ver a partir do minuto 2:55)...http://www.youtube.com/watch?v=j5N2u3P9L7A..

      Passe bem

      Eliminar
  5. Acho que o JC pode tem razão em tudo aquilo que diz, mesmo assim sou Portista e não consigo ir contra isso.
    Deixo-te com esta pequena prova de amor: o que eu senti ao vir cinco anos seguidos para o meio da rua festejar títulos foi fantástico, tenho toda aquela felicidade gravada nas minhas memorias de infância. O que eu senti no três dois ao celtic foi tão forte que fez me desmaiar e nenhuma contra argumentação da tua parte mo irá tirar. O que eu senti ao entrar para a final contra o Mónaco: encarar uma final como um jogo de consagração, ter a certeza que a nossa equipa era melhor do que qualquer uma que nos aparecesse à frente, e entrar no campo marcar três golos tranquilamente e vir para casa festejar. (isto o vieira também vos ensina a pensar mesmo que percam 5 vezes com "um" rival na mesma época)
    Alias se isso acontecesse eu começava a questionar o meu clube...

    Meu caro amigo JC, eu nunca cometi um crime, eu desde que sou adulto nunca insultei directamente ninguém, nunca fui violento para com outro e por norma não guardo rancor. Você através da sua generalização da entidade Futebol Clube do Porto e dos seus adeptos é que sem me conhecer de lado nenhum já me insulta, e isto só pode vir de uma pessoa cheia de ódio.

    Não estou a dizer que você é uma pessoa odiosa, estou apenas a constatar que a única possibilidade que me vem à cabeça para uma pessoa insultar tão afincadamente um clube é guardar-lhe um ódio enorme, e esse ódio só me parece possível de ser explicado através de uma falta enorme de alegria que provavelmente o seu clube não lhe proporcionou criando uma grave frustração que se manifesta nesse ódio ao FCP.

    Eu como adepto dos tempos áureos do Porto não guardo Ódio nenhum ao Benfica, até tenho uma certa simpatia, os gajos fazem me rir, tipo as famílias de cascais que foram à falência nos anos 80, mas continuam a falar como se ainda tivessem 40 empregados e 50 motoristas.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Meu caro, não existe uma unica palavra no meu texto em que tenha insultado o seu FCP... Tenho muitos amigos de outros clubes e inclusive um dos meus melhores amigos é adepto do FCP e muitas vezes falamos de futebol, sem nenhuma zanga ou rancor, por isso essa história do ódio comigo não resulta, Ok?

      Agora essa de dizer que nunca insultou ninguém e juntar umas frases a dizer que se ri das familias de Cascais...

      Eliminar
    2. Esqueci-me das aspas. Não conheço nenhuma família de Cascais, alias creio que nunca passei por cascais.Mas já fiz de tia de Cascais, falida nos anos 80 numa peça de teatro. Rio-me de uma figura do meu imaginário.

      Friso mais uma vez isto não é um ataque pessoal, nunca pensei ter de me justificar sobre os motivos não insultuosos do meu riso.

      "não se esqueça, que vocês batem nos vossos treinadores"

      Não se esqueça, que um grupo de adeptos do seu clube bateu num dos vossos treinadores. (poderia fazer isto com o resto das frases e desta forma não insultaria o meu Porto nem a mim, da forma que o faz insulta)

      "vocês foram condenados por corrupção"

      "adeptos ferrenhos do FCP, nunca conseguem ter nenhum comentário sem destilar odio"
      Etc.. etc.. etc..

      Eu não disse que você não gostava dos portistas, o que eu quis dizer é que por você odiar o FCP acaba por insultar os seus adeptos, e pelos vistos sem se aperceber.

      Eliminar
  6. Manel,
    O melhor foi estar no pavilhão, ver o Ricardo defender, a seguir o Benfica marcar e o Porto desmoronar-se...LINDO!

    ResponderEliminar
  7. O JC é o Jesus Cristo "himself"

    ResponderEliminar