terça-feira, 21 de agosto de 2012

Os outros

Começou o campeonato e o Benfica não descurou a sua tradição de não ganhar e fez questão de mostrar, em apenas 90 minutos, todas as suas deficiências. Dado que, quando escrevo, o meu objectivo não é enlouquecer, vou abster-me de comentar o meu clube, dado que tudo é evidente demais.
Voltemo-nos, assim, para os demais.

O grande inimigo do Benfica é, como é óbvio, o clube do Guarda Abel. O Porto mantém a sua estrutura e o seu futebol. Um 4-3-3 com anos e anos, que ataca sempre pela certa, não deixando os adversários contra-atacar ou respirar no seu território. Contratou um bom avançado (a sua principal falha o ano passado), mas mantém-se sem suplentes à altura no meio campo (que bom que era que Moutinho tivesse um acidente ou se tornasse um Spur) e, na frente, depende de Hulk. E é aqui que temos que pedir a todos os anjinhos e aos Zenits e aos Atléticos para nos fazerem o favor de levar o homem de cá. Aparentemente, o Porto passará a jogar com James e Varela ou Atsu nas alas e, salvo qualquer descoberta na segunda divisão japonesa, o poder de fogo do clube de Martins dos Santos vai descer muito. Restará ao Porto – e é muito – a sua habitual competência, o seu sangue frio. E isso chega para os tornar favoritos. No entanto, um bom arranque do Benfica (e voltamos ao primeiro parágrafo) poderá expor as feridas que os azuis escondem tão bem: os ordenados em atraso, os casos recorrentes dos jogadores que querem sair, Álvaro Pereira e Kléber à porrada, etc.
Se o Benfica fosse competente, podia ambicionar por sal nas feridas do rival. Assim, resta-nos esperar que Hulk saia, que ninguém entre, e que um milagre aconteça.


Os verdes continuam o seu caminho estranho.  Apesar de já não ter Polga (aquele abraço!), o Sporting tem um plantel curto e com muito pouca gente que meta respeito e medo. Quando olho para os seus 11, invejo claramente Ínsua e acho que Carrillo se tornaria um grande extremo no Manchester United. Falta-lhes um criativo no meio campo, mas, mais do que tudo, falta-lhes exigência. O Sporting já não é – aos olhos de todos – candidato ao título. Até para os seus adeptos. O derby será, como sempre, um jogo perigosíssimo, e conto com o defensivismo de Sá Pinto para tentar tirar pontos aos azuis, já na 6ª jornada. Espero, também, que alguém lhe tire os comprimidos para podermos, finalmente, vê-lo mandar uma bolachada num árbitro. Sá Pinto: pelo Artur Jorge e pelo Liedson, terás sempre o meu eterno e incondicional apoio.

O Braga é um caso sério e preocupante. Tem o mesmo plantel da época passada, um treinador que vai querer acabar com o mito de 2004/2005 e uma estrutura férrea que se senta, com igual à vontade, nos camarotes do Dragão e da Luz. Apesar de nem uma Taça terem ganho nos últimos anos, o golpe “à Boavista” está quase à vista de todos. Aprecio especialmente Leandro Salino, Amorim (jogadores que cabiam no plantel do Benfica de caras, e o segundo só não lá está porque -> voltar ao primeiro parágrafo) e Lima. E odeio Mossoró, a quem desejo, sem qualquer pudor, que alguém lhe enfie a chuteira pela perna dentro, deixando-o sem jogar até aos 45 anos, quando poderá voltar a jogar na sua terra local, que não sei qual é, mas à qual irei só para o insultar. É dos jogadores que mais odeio no campeonato e que sonho encontrar a passarem na passadeira quando guio.
São uma maior ameaça que os verdes e nunca é demais repeti-lo.


Marítimo e Nacional continuarão a ser terrenos perigosos, pejados de brasileiros e de jogadores de Leste que parecem agigantar-se contra o Benfica. A claque feminina do Nacional continuará a ser mais irritante que o seu presidente (e isso é difícil). Danilo Dias podia ser suplente num grande ou ir para o Braga. E o Porto ganha lá sempre. Mais facilmente na Choupana do que nos Barreiros. É tudo o que sei sobre as ilhas.

Em Guimarães estará uma equipa falida cheia de jogadores que não conheço. É bom que sejam minimamente bons, senão acabam com aquele marroquino que, apesar do golo ao Porto há dois anos, se foi embora por estar cansado das ameaças. O que aprecio em Guimarães é a independência daquela gente insana. Odeiam com a mesma força Benfica, Porto, Sporting, Belenenses, Académica, Braga e Boavista. Julgo que nem a claque feminina do Nacional é bem recebida lá. Respeito isso.

Olhanense, Académica, Rio Ave, Setúbal, Beira Mar, Gil Vicente e Paços de Ferreira vão manter-se como a prova de endurance do campeonato. Vão estacionar o autocarro e bombear bolas para os seus brasileiros rápidos da frente, passar o tempo todo no chão e a fazer anti-jogo, à espera de um milagre numa bola parada ou num contra-ataque. Em Olhão, Coimbra e Vila do Conde moram treinadores ex-Porto (coincidências do futebol português), pelo que poderemos esperar 11 cães de fila em marcação cerrada e de faca nos dentes contra nós, contrastando com o futebol de ataque, agradável, com dois avançados e dois extremos bem abertos, com que enfrentarão (corajosamente!, rezarão as crónicas) os azuis. Malgrado o primeiro parágrafo, é rezar para que o Benfica seja mais competente contra estes adversários do que Porto e Braga. O Sporting cometerá o seu habitual suicídio nestes jogos.

Estoril e Moreirense são-me desconhecidos (eu trabalho, não tenho tempo para conhecer toda a gente, ok?), mas lutarão com o lote de cima para não descer e comportar-se-ão de igual forma. O jogo com o Estoril servirá para recordar o famoso “EstorilGate”, mas este fim de semana ninguém se lembrou de um célebre Gil Vicente – Porto jogado em Guimarães, pois não?
Da primeira à última equipa comentadas, uma coisa os une: todos detestam o Benfica. É bom que o Benfica aprenda a lição depressa. A de que é o alvo a abater em todos os estádios.

Não estivesse o Benfica tão focado em auto-mutilar-se e em insistir nos seus erros, e até podia estar cheio de ambição. Assim, bem, prometi a mim mesmo que não escrevia sobre isso. Anda lá, Zenit, compra o Hulk e dá lá 25 milhões de prenda de casamento à Fernanda!




8 comentários:

  1. Aqui está toda a verdade contada com humor...que para um benfiquista é puro humor negro!!

    Gin Tónico

    ResponderEliminar
  2. Este comentário foi removido pelo autor.

    ResponderEliminar
  3. Parei de ler o texto nos ordenados em atraso, Oh M., diz-me lá como é que sabes que os jogadores de futebol do FC Porto têm ordenados em atraso ? Viste isso escrito por algum iluminado benfiquista num blogue? Porra, se os jogadores do FC Porto não recebem ordenados e mesmo assim conseguem ser campeões faria se começassem a receber, a Liga dos Campeões era um frete!

    ResponderEliminar
  4. Pretendia, se possível, que publicasse uma resposta que foi alvo de censura no blog "ontem vi-te no estádio da luz".

    Ao defender a minha (muito antiga) opinião de que Rodrigo é um avançado fabuloso, foi colocada em causa pelo dono do blog a minha coerência, acusando-me mesmo de "mentir".
    Como se trata de uma estratégia antiga do sujeito em causa, em relação à coerência recuperei esta frase escrita pelo próprio no dia 01 de Setembro de 2011:

    "3. O Postiga custar 500.00 euros é ridículo. Péssima venda. Por outro lado, vender aquele tronco (Djaló) por 4,5 milhões é qualquer coisa de surreal. É como dizes: quase, quase, o negócio Roberto.

    Uns meses depois, o "tronco", para o Ricardo, já tinha cabeça e membros, que é como quem diz "qualidades e potencial".
    O que é que o fez mudar de opinião?! Notei que, neste caso, a coerência mirrou ao ponto de não poder ser observada a olho nu.
    São estas "mentiras", documentadas, que me são atribuídas e que o levam a censurar os meus comentários.
    Desafiei-o, tal como sempre fiz, a enumerar as inverdades de que me acusa.
    Agora a desculpa é o meu anonimato. Sem embargo, publica somente alguns dos meus comentários e apaga outros, não tendo qualquer pejo em, mesmo assim, os comentar!!
    Salientar, por último, que há algum tempo atrás, convidou-me a enviar-lhe um e-mail. Recusei, dizendo-lhe que não queria ouvir nada da parte dele em privado que não me pudesse dizer em público e estranhei agora que alguém (como ele) pretendesse falar-me em privado quando insistiu com o blogger Tiago Pinto para que tornasse pública uma conversa...privada.
    Não faz sentido alguém apelar à memória de Cosme Damião e comportar-se como um Urgel Horta.

    Cumprimentos

    Mentecapto da Silva

    ResponderEliminar
  5. Melhor parte: " mas este fim de semana ninguém se lembrou de um célebre Gil Vicente – Porto jogado em Guimarães, pois não?", como portista gostava que me explicasses este comentário, é que eu lembro-me e bem e foi a única derrota para o campeonato no último ano com José Mourinho como treinador, por isso não consigo mesmo perceber...

    Cumprimentos

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Anónimo das 18H32,

      O "M" apenas quis dizer que, quando se faz alusão ao jogo do Benfica com o Estoril, no Algarve, e que muitos consideram um caso de polícia por não se ter realizado na Amoreira, também se deveria mencionar o "Maiagate", na Maia, onde o Salgueiros e outras equipas recepcionavam os "grandes". O Gil Vicente também passou por esse expediente.

      Eliminar
  6. É o que o Dylan disse. O Benfica podia ter perdido esse jogo no Algarve, também (aliás, esteve perto).

    ResponderEliminar
  7. E agora parece que o Olhanense vai receber o Fcp no Estádio do Algarve e não no José Arcanjo. Onde andam os críticos do Estoril x Benfica?...

    ResponderEliminar