quarta-feira, 6 de fevereiro de 2013

Regresso aos mercados

Estou convencida que o mercado de Inverno é apenas um teste do universo aos nossos fracos corações de adepto. De outra forma, não compreendo esta mania de, durante 31 dias, tornar possível que um craque da nossa equipa se vá embora a qualquer momento. Felizmente falamos do FCPorto, que nos habituou a não vender peças importantes do puzzle nesta altura e a aproveitar o mês de Janeiro para arrumar a casa.

No último mês, o FCPorto reforçou a minha convicção, apenas abalada por uma ou outra demonstração do poderio atacante do nosso rival: somos a melhor equipa. E andamos a jogar muito, mesmo! Tenho dado por mim a ir a todos os jogos, a voltar a fazer sacrifícios e loucuras só para os poder ver ali, no relvado, a mostrar coisas tão bonitas. O capitão do vitória (homem e clube perfeitamente insuspeitos) chama-nos o barça da Liga portuguesa. Eu não concordo, porque pelo barça eu não arriscava ir a guimarães dar 4 e ainda esperar sobreviver.

Estou apaixonada pelo nosso estilo de jogo e devo-o, claro, a Vítor Pereira. Não sei se isto é para continuar, tenho dúvidas que possa ser sempre tão perfeito e sei, de certeza, que a qualidade não ganha todos os jogos. Mas, para já, gosto de chegar a casa, sentar-me no sofá, colocar os pés em cima de alguma coisa, à lorde, esticar os braços por trás da cabeça e pensar: “Tenho um orgulho do caraças em ser portista”.

O plantel, já sabemos, é curto. Estamos sem James (que vinha a ser nada mais, nada menos, do que o melhor jogador da Liga) e olhar para o nosso banco faz tornar-me crente, rezando a todos os santos para que não seja preciso jogar ninguém. Mas, felizmente, continuamos a falar do FCPorto, que foi buscar dois reforços escolhidos a dedo.

Precisávamos de um ala/médio e de um avançado. Izmaylov e Liedson. Dirão alguns que estão velhos e cansados e lesionados e não sei o quê. Dirão outros que era preferível ir buscar dois jovens, que ganhassem menos, que pudessem crescer e ser vendidos depois. Bem, num mundo ideal, claro que iríamos buscar um James Rodriguez para cada posição. No entanto, estamos a meio da época e é preciso ser rápido, preciso e eficaz. E estou convencida que Izmaylov e Liedson são isso e apenas isso: duas garantias de qualidade para ajudar no que falta do campeonato.

Se me custa vê-los de azul? Na verdade, não me custa ver ninguém de azul, a não ser o Kléber e o Iturbe (paz às suas almas). O ex-Izmailov fez-nos mal quando estava de verde, mas nem sequer aprendeu a falar português para me chatear o suficiente. Já o outro, o ex-grande-palhaço-que-se-estava-sempre-a-atirar-para-o-chão-e-que-não-passava-de-uma-grande-merda, bem, a seguir ao Moutinho eu já estou como os lagartos: aguento tudo.

No meio disto, o FCPorto despachou três grandes inconvenientes: Rolando, Kléber e Iturbe (e nenhum deles para fazer trabalhos forçados na Sibéria, como seria normal). Quanto a Rolando, e porque a minha memória vai além de uma ou outra palhaçada, quero agradecer-lhe o que fez pela nossa equipa e avisá-lo que, se achou que aqui foi maltratado e pressionado, em Nápoles eles não são propriamente conhecidos por serem compreensivos e fofinhos.

Já Kléber e Iturbe são outra história. Não suporto meninos com a mania que são superiores ao FCPorto, quando na verdade (e pelo menos para já) não são NADA. Juro que dei o desconto ao primeiro, que me tentei sempre recordar como no marítimo me parecia um bom jogador e que tentei sempre ouvir aqueles que me diziam que ele se aplicava muito nos treinos e que nos jogos é que não se percebia o que se passava com ele. Kléber, quanto a paciência contigo e esperança que um dia te tornes num avançado decente, aliás, que te tornes em algo parecido com um jogador de futebol sequer, é como diz o outro: FUI! Do segundo já falei que chegue e até acho que pode vir a ter sucesso num continente qualquer, desde que seja longínquo.

Feitas as contas, saímos a ganhar do mercado de Inverno. O ano passado fomos buscar Janko e Lucho, fundamentais para a conquista do título. Espero poder dizer o mesmo de Izmaylov e Liedon daqui a uns meses. Se não disser, espero que seja porque este campeonato foi conquistado apenas à custa de uma equipa que joga muito à bola. 

Sem comentários:

Enviar um comentário