terça-feira, 28 de outubro de 2014

O Benfica ainda acredita em contos de fadas

A nossa sobrinha mais velha, sobre a qual a C. já escreveu, quando tinha os seus três ou quatro anos , adorava as princesas da Disney, como todas as meninas da idade dela. A M., loura e com os seus olhinhos muito azuis, sentava-se muito concentrada no canto do sofá a ver de seguida as cassetes de vídeo e perdia-se completamente naquilo. O meu irmão, o tio mais novo da M., que é um bocadinho um irmão (muito) mais velho dela, adorava fazer-lhe a seguinte maldade: chegava a casa vindo do surf com a prancha na mão e, sem sequer olhar para a miúda, antes de fechar a porta virava-se lá para fora e despedia-se: "Adeus, Branca de Neve! Amanhã fazemos surf outra vez! Beijinhos!", fazia adeus e fechava a porta. A M., coitadinha, levanta-se a correr, abria a porta e gritava: "BRAAAAAAAAANCA DE NEEEEEEEEVEEEEE!?" e ficava muito triste quando via que ela não lá estava. Olhava para o meu irmão à procura de respostas e o sacana dizia-lhe, muito calmo: "Se calhar ela não é tua amiga, é só minha", para fúria e desespero da nossa sobrinha. Obviamente, porque a M. é brilhantemente inteligente (um misto de Ramires em transição defensiva com Aimar com a bola nos pés, mas numa criança), a brincadeira acabou por se perder. O meu irmão despedia-se da Jasmine (é a namorada do Aladino) ou da Pequena Sereia, ou fingia que estava ao telefone com elas, mas a M. dizia-lhe "Não está nada a Branca de Neve lá fora" e continuava no sofá. A história é uma delícia, mas já não resulta (estamos à espera que a F. cresça para lhe fazermos o mesmo).

O Benfica foi este domingo a Braga. Tinha quatro pontos de avanço e o nosso principal rival estava em crise, com exibições coxas e uma eliminação prematura na Taça de Portugal com contornos de escândalo. O Benfica visitava um estádio de uma equipa treinada por um ex-jogador do FC Porto (ok, isto só não se aplica a duas ou três equipas do campeonato), cujo ambiente chega a ser pior que o Dragão e onde já tivemos desde agressões nos túneis (onde Cardozo foi expulso por levar um soco) a cortes de luz quando o Benfica ganhava o controlo do jogo. O que é que seria de esperar? Obviamente uma arbitragem à portuguesa, que permitisse toda a violência possível e imaginária e uma entrega de jogadores como Ruben Micael que raiasse o heróico. (Aproveito este parágrafo para anunciar que, se um dia eu presidir a instituição secular e gloriosa do Sport Lisboa e Benfica, vou mandar raptar o Ruben Micael e que este será colocado numa cave do estádio da Luz. Cada vez que um benfiquista pagar as quotas, terá direito a dar uma carga de porrada no madeirense, para aliviar o stress. Prevejo chegar aos 500 mil sócios nos dois primeiros meses.) O Benfica até entrou bem e fez uma primeira parte que me pareceu competente (não pude ver o jogo todo, admito). Perdeu por erros do JJ, por erros individuais e por alguma dose de azar (aquela última bola, se fosse cabeceada por um jogador do Porto ou do Sevilha, tinha batido de seguida na barra, na cabeça do defesa e na barriga do fiscal de linha, acabando por entrar), acontece. A minha crítica não é por aí. Fico pior que fodido, dá-me vontade de mandar pontapés em coisas e acho que o país devia fechar para podermos debater os problemas técnicos e tácticos que nos assolam, mas não é por aí que escrevo o texto.

O que me choca, o que me põe mesmo nervoso, é a meninice do Benfica. Que a bola não entre naquele último lance, eu perdoo (apetece-me que o mundo acabe, mas perdoo). Que aquele primeiro golo entre, eu perdoo (que charutada impressionante), agora, que o Benfica vá a Braga sem perceber que tem que lá entrar como se fosse combater pela Palestina em Jerusalém é que me faz impressão. Mas ninguém avisou para o que se ia passar? Mas ninguém pediu a expulsão do Danilo a um ponto que o árbitro fosse obrigado a parar de compactuar com o que se estava a passar em campo? Mas que cambada de crianças é que estava vestida à Benfica para se ter permitido que o Ruben Micael faça uma falta em cima da área sobre o Jonas e que ninguém tenha pedido amarelo? E depois, claro, a cereja no topo do bolo: aquela confusão final, aquele perder a cabeça completo e ridículo que nos impediu de aproveitar os minutos finais e que nos pode ainda valer castigos. Pareciam a M. irritada depois de descobrir que não estava nenhuma princesa da Disney lá fora. Já tinham idade para ser mais crescidos, rapazes.

O que pergunto é: mas, além de mim e vários doentes que conheço, ninguém estava mentalmente preparado para ir a Braga? É que a nossa sobrinha, coitadinha, tinha três, quatro anos e queria muito conhecer a Branca de Neve. Mas o Benfica também é assim tão ingénuo? 
Eu acho que o JJ esteve mal no domingo, sim. Acho que vários jogadores não foram felizes em vários lances (porra, Lima, volta), sim. Mas isso, num campeonato de 34 jornadas, acontece (mas não pode acontecer muito!). Agora, exijo sempre, mas sempre, que os jogadores deixem a pele em campo. E, mesmo admitindo que a concentração de um jogador e de uma equipa não é a mesma durante todo o ano, não se admite, não se pode permitir uma exibição daquelas em Braga, num terreno minado onde ganhar seria uma cartada psicológica fortíssima e que ia dar suores frios aos nossos rivais que, ao invés, já esfregam as mãos. A M. dava saltos e pedia o telefone ao meu irmão e gritava: "Deixa-me falar com ela!" quando o meu irmão fingia que estava a combinar sair à noite com a Pequena Sereia, mas o Benfica não pode ser uma criança de três anos, enternecedora de tão inocente. 

Eu sei que já escrevi este texto mil vezes, eu sei que estou sempre a pedir isto: um Benfica obcecado em ser campeão nacional e com gente que só pense nisso a tempo inteiro e que prepare a equipa técnica e os jogadores para todos os factores que não podem controlar. Eu, que sou médico e que tenho outras coisas para pensar e fazer, passo 90% (perdão, 900%) do meu tempo a pensar nisto. E, no entanto, isto não acontece e domingos como o último acabam por aparecer. 
A cereja no topo do bolo é ver o presidente do Benfica a confraternizar alegremente com o presidente de um clube que eu só espero que acabe nas distritais da Libéria. Como é que eu me posso chatear com o Talisca por meter no instagram uma fotografia com o Kelvin quando o presidente do Benfica se dá bem com o presidente de uma equipa que nos recebe assim todos os anos? Assim é difícil acreditar que o Benfica vai mudar para o Benfica que eu sonho. Mais depressa o meu irmão vai fazer surf com a Branca de Neve.


8 comentários:

  1. De acordo. Mas, e em abono da verdade, alguns dos maiores rafanços de arbitragem na história recente do futebol português foram ao Braga na Luz. Aliás, o JJ não me deixa mentir.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. De alguns, para um, em 2009... Em Braga é que é sempre mais do mesmo, desde que alguns bracarenses se lembraram que em Braga havia um clube de futebol começaram a odiar o seu ex clube, e desde aí, Ano sim ano sim sr, o Benfica paga as favas em ^Braga, com o maior patrocinio do sr presimente vieira

      Eliminar
    2. Estás equivocado, mas conpreendo-te. Os jornais manipulam os lances, evidenciam o que lhes interessa e depois os adeptos têm de acreditar. Quando JJ usou a figura da playstation, a mesma comunicação social que não viu o Benfica ser roubado em 3 penaltys na final da Liga Europa, mas viu o SCP ser roubado com o Shalke04, essa comunicação social inventou 4 erros do árbitro Paulo Batista: 1) penalty sobre Mossoró, quando Katsouranis o está a agarrar, mas em que a bola vai uns metros para outro lado e é cabeceada pelo Renteria (claro que ao pé deste lance, a placagem de Gaitan é um erro "menor"), 2) Penalty de Luisão (acertaram), 3) golo de David Luis em fora de jogo (pela televisão, no inicio da jogada o nariz do DL estava fora de jogo, mas sabemos que a FIFA só manda beneficiar o atacante, se este não for do Benfica, se for o Montero ou o Jackson já pode) e 4) o penalty assinalado sobre Di Maria foi inexistente. Curiosamente anos m ais tarde, um lance igual de Maxi sobre um jogador do SCP, naquele jogo que ficou conhecido com a Liga Capela e onde o SCP apenas fez o primeiro reate enquadrado com a baliza do benfica aos 50 mn, nesse lance do Maxi toda a comunicação social concordou que era penalty. Igual ao tal do Di Maria que não devia ter sido assinalado (e por acaso até falhamos).

      Na playstation é assim... ta como na vida real...

      Eliminar
    3. Ainda bem que vejo um benfiquista a admitir (pela argumentação expendida sobre o fora-de-jogo) que o golo do Rio Ave na luz deveria ter sido validado!

      Eliminar
  2. Excelente texto !
    De facto isto é cada vez mais frequente. Quanto certos clubes manifestam cada vez mais ódio ao Benfica, mais vezes o Vieira se rebaixa perante os tais clubes, não é preciso dizer quais são.
    Mas vindo de um presidente que foi braço direito de PdC, que disse que o Valentim era um homem sério, que exigiu a demissão do Dias da Cunha após este ter denunciado os rostos do sistema, que aperta a mão ao PdC e que abraça o Salvador ao mesmo tempo que a comitiva do Benfica é vilpendiada e desacreditada, não surpreende. Bem pelo contrário, pois agora com a «santa aliança», estas situações irão ser cada vez mais frequentes e com um ódio ainda mais intensificado. Isto com o alto patrocínio do Vieira e o «deixa andar» da maioria dos adeptos benfiquistas.

    ResponderEliminar
  3. usar as caves do estadio da luz é que nao porque sao precisas para guardar armamento e droga!!

    ResponderEliminar
  4. Ao autor do texto só falta colocar a hipótese: e se Vieira é uma monumental fraude desportiva, bem propagandeada por largos sectores da comunicação social enfeudados aos interesses da Banca e da Olivedesportos, mais dos amigos empresários dos off-shores..... quando colocar essa hipótese vai perceber melhor o porquê de certas reacções e comportamentos do Sr.º Vieira e do porquê do Benfica trabalhar para pagar juros das compras que fazemos a essa gente toda.. a mando de Vieira......

    ResponderEliminar